segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Meio Trecho

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, selfie e close-up


Meio Trecho

Todo poema que te faço é meio trecho
Tem um tracejo gracejado na erótica mente
Versejo furtivamente procurando o eixo
Dentro do desejo nada casto humanamente

Sabidamente o poema que me faço é bem trivial
Faz-me bordejar no transverso que me compito
Catar o verso no estreito do beco diagonal 
No sumo dos lábios, no amor que crepito

No todo poema onde a somática faz parte
O tudo que nos cabe subitamente salutífero
Identifico a eletrostática no frêmito à sua arte
Na percepção do olhar subterrâneo aurífero

Me incubo de estrelas maciças na palma da mão
No bulbo do jacinto sinto teu olor balsâmico
No amor que enfeitiça um absinto de ilusão
Filtro teu sabor de poema com cheiro hedônico.

Son Dos Poemas 
$ôniaMGonçalves






A Lenda d'um Beijo

A imagem pode conter: planta e natureza

Lenda d'um Beijo

Sem chão para pisar ela flutuava...
Cem amores para amar sem amor se torturava
Um dia uma lenda dois corações uma tenda
Tenda de amor é bom que se entenda...

Havia uma prenda que poetizava os laços
Também um calor que ampliava o frio 
Um amor febril que delirava em cio
Vestia desejos pão e queijo e abraços.

Sem tempo sem compasso grande era a fé...
Não existiam limites para tantos desejos e rapapés 
Em terra firme cultivava flores em pés
Deitavam em cores diversas pétalas beijos e cafés

Exalavam mil fragrâncias em inteligências...
Perfumavam veredas e estâncias 
Eram mágicas essências e experiências 
Sem barreiras nem distâncias eram diligências...

Ao Longe uma nuvem de paixão era negligente
Entenda... Na tenda vivia um sultão muito inteligente
Mágico era só fumaça em plumas de algodão
Sua poesia era pó de pura paixão de verão...

Então...As flores de café eram branquinhas...
As de beijos?...Pétalas amarelinhas
Mas havia as vermelhas outras rosinhas
Entre cores belas estavam as minhas...

Douradas!...Enamoradas pela lenda
Entenda... Eu era a prenda...
Uma paixão em oferenda
A lenda?
Era eu!

Son Dos Poemas

Encantamento



Encantamento

Saber que nada muda tudo é igual
Ver que o tempo apesar deste segue o ritual
Janeiro fevereiro e carnaval...
Bailes e máscaras sobre máscaras e tal...

Ouvir o sussurrar d’aura tocar falanges do vento
Os vícios os resquícios as pedras e diamantes
Saber que o vento é fantasma arrasta as correntes
Geme de dor, de frio e calor segue ao relento...

O encantamento faz traduzir os gemidos
Com intenções encontrar mil sentidos
Ouvir um cântico d’amor em oração
Apreciar como por encanto a oblação...

Tecer toda a complexidade dos dias porvir
Um continente de saudade que faz intuir
Compreender a fragilidade de um dente de leão
Á boca é vontade, mas se flor for deita no chão...

Mascarar os sentidos e fingir felicidade
Fazer um desfile de máscaras de verdade
Engolir os gemidos e ser poeta fingidor
Sentir deveras que não sente se consente é dor...

Então mente para si completamente
Para enganar os sentidos que ama perdidamente...

Son Dos poemas

sábado, 13 de janeiro de 2018

Luz X Inspiração


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up

Luz X Inspiração

Se a luz sintética inspira o poeta...
imagina a refração da luz solar
O jogo de luz que o rosto alveia
esconde as marcas do tempo e do ar...
A Luz que me inspira dá ideia e clareia
esclarece o tudo que te faz inspirar...
Acho que a lua que te ilumina 
não é a menina do meu olhar...
Talvez seja a lua nova de novembro
e não a crescente se bem me lembro 
é de quase dezembro a do meu humilde lugar
A minha lua não se veste de noite escura
despe-se completamente lunar
e veste-se de hosana nas alturas
Usa um pingente de luz solar 
num cordão de estrelas concretas...
Brilha para iluminar toda gente
nesse novo fim de semana 
e inspirar a poeta de mim paulistana...

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Aspas


“ASPAS”
“Sempre” e para o “sempre” bem amado
Segue sem o som presenteado
Emoldurado e enquadrado em pretérito
Como uma estátua de Michelangelo honra o mérito.

Em pureza arde afresco de sistina
Calma de capela como chama á luz de velas
Feliz segue o mundo em poemas e tantas meninas
Serpenteando como um rabiola em sol rotina.

Navega nas aparências de amor perfeito
Descansa em praias afrodisíacas e fecundas
Envaidecido por ser amado bate no peito
Parece não ter defeitos nas ondas úmidas.

Peregrina mar de felicidades fecha “aspas”
Amor verdadeiro brada em silêncio das frestas
Diante das lacunas que se abrem entre “aspas”
Estão as colunas que lhe servem finas castas.

Farpas de cortesia é sol de viagem
Prognóstico bom em boa nova mensagem 
Ouvir som das harpas e dos clarins
Ver mil toques de anjos e querubins

Sempre com cheirinho de alecrim
Vêm “aspas” de presságio bom!
“O nada é eterno porque não tem fim”...
Ter tudo sim! Fecha “aspas” é só um som...

Son Dos Poemas 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

S'emana Flor




S’emana Flor 

Brota o dia florescido...
Ensolarado já tecido manhã cedinho...
O floreiro do mundo, já rega as flores
para a primavera novos caminhos...
Bota raio de luz às frestas das janelas escuras
Bota nuvem de passarinhos nos céus nas alturas
Bota cacho nos ramos das vinhas frutíferas
Enche riachos d’águas esperanças prolíferas...
Bota o pé nos confins do mapa mundial
Apoio de beija-flor nos hibiscos arroio no quintal
Na luz dos olhos mantas de coriscos luzentes
Brota vindas promissoras nas nascentes
Cicatriza as dores das idas sôfregas 
Bota flor no tabuleiro cá-fé e pão à mesa...
Brota nova semana pro mundo inteiro Vida!
Bota um poema no rosto, um sorriso no bolso 
e um buquê de mas garridas nas mãos...
Purifica teu coração para não talhar o Amor
Limpa teu espírito com lavras de mel em flor
Equilibra o fel dos corpúsculos anatômicos
Sorri doce que a vida não passa dum sopro
Os dias são crepúsculos ligeiros balsâmicos
E os poetas loucos alquimistas sentem o cheiro...
Só Amor tem forma d’ouro 
S’emanas também...

Son Dos Poemas
*SôniaMGonçalves




quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Leque Amoroso

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Leque Amoroso

O primeiro suspiro poético perfuma e aromatiza
O leque se abre abana e abana leve brisa
Com euforia de quem canta á insônia é poetisa
Um leque de poema me pinta e matiza...

Há poesia no abrir e fechar d’um leque...
No rabo do papagaio voa altaneiro moleque
Tudo se atenua num desenho harmonioso
A carne nua pondera acolhe o vento gostoso...

Quem canta a poesia pode nomear Ana...
Mas quem espalha o leque de amor é Joana
Na folha da amoreira canta Joaninhas
E na flor da laranjeira repousa andorinhas

O maior leque auspicioso faz-se o tema
Sentar no colo das nuvens e se abanar num poema
Refrescar os pensamentos num beijo de amor
Sentir o mel no alimento no bico do beija-flor

Passear ao léu sem nunca esquecer querer sempre
Sentar nos pilares da felicidade ser acariciada no ventre
Saber que amor faz o tempo redobrar...
Abraçar a luz d’um profeta é por dentro se iluminar...

Ver o leque que se molda nas plumas do pavão
Contemplar o mover das nuvens sentir o doce do algodão
Desejar um toque de abano nos sentidos voador
Beber plenamente os sonhos em caldas de puro amor...

Abanar os sonhos usando um leque de poesia
Não se abandonar nunca viver essa fantasia...
Beijar a alma do poeta é abraçar-se em ventania...

Son Dos Poemas
SôniaMGonÇalves

Meu Poema


Meu Poema

Hoje me veio na lembrança
O gosto proibido de maçã
O cheiro de libido e hortelã
Atrevida senti esperança

Contemplei - te manhã de lume
No ouro que cobre às auroras
No silêncio que concerne às horas
Agora te lembrar virou costume

No bruxuleante da parida alvorada
No parco astrolábio que coteja o sábio
Na goteja que abarco na bandeja do lábio 
Na sorte das pedras no corte à granada

Dou-te polimento em primeiro plano
Neste mês de janeiro cujo tempo abre 
Feito extinto felídeo com instinto sabre
Todo movimento marca o iniciado ano

No primórdio poema meu poético pasquim
Enquanto a chuva coroa o romã ao sol rubejante
Namoro o nascer desta estrela lá no mirante...
Completamente andarilha na ilha de mim...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves

sábado, 30 de dezembro de 2017

Raio de Magia

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, chapéu e close-up

Raio De Magia 

Existe uma poesia no ar
Chamada lente de contato
Um raio de magia espetacular
Que une o ser ao abstrato...

Existe a visão e o olfato
O poderio e a lenda de íris
O prazer nas papilas é fato
O brilho nas pupilas além do arco-íris

Existe o nada que á íris folheia
Existe você á me florescer por dentro
O celestino olhos azuis por magia
O som do vento e o poeta no centro...

Existe a impressão que refresca o olhar
O vento e a imaginação intuitiva
E tudo é questão concretizar e sonhar...
P'ra manter a chama d'amor viva!

Existem tantos mistérios no ar
Uma força maior que nos faz colidir
Assim como na terra, no céu e no mar
Há conspiração que nos faz existir...

Existe um enigma faraônico
Atrai e afasta esporadicamente
Mas se unido o som é sinfônico...
E o perfeito amor sincrônico infinitamente...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

Magia

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, chapéu, atividades ao ar livre e close-up
Magia

Margeio um mundo de encantamento...
Quando o vento fala o idioma contrário
O feitiço perde-se no vão pensamento
E a rosa dos ventos gira sentido anti-horário

A magia faz acender a chamada paixão...
Um lume de beijos é pavio do estopim
Dez vezes é a justa prova da inquisição
E pós os desejos se flambam em mim

Sortilégios são sementes in naturas férteis
Nem preciso ver para crer como São Tomé
Amarelejadas folhas acenarem voláteis
Magia é viver de fato sem válvula d’escape

Margear o céu azul por fantasia lírica
Inspirar poesia em cordéis de borboletas
Na orla da lua quebrar a magia argírica
E todo encantamento lançar ás estrelas

Assim olho por magia a tintura do alcatrão
Vejo enluarada a subtração dos sentidos
Roubar-me o ar e enfeitiçar o coração
Numa súbita atração toda magia é poema.

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalve

Curador da floresta

Resultado de imagem para jardineiro

Curador da Floresta

no luzeiro das estrelas
m'eu passageiro medieval...
No coração da floresta ardido
meu silêncio de catedral aturdido
entre o cruzeiro da pedra a língua filosofal
O valor do tudo que traduz harmonia
Na sina crucial do meu reino animal...
Meu Sol d'ouro a reação encandeia
O amor mais sagrado desde a era glacial...
madrigal o som de lira é minh' a pira musical 
Nos fractais que fagulham os tempos perdidos
nos cristais que expelem ventos gemidos...
M'eu cura a dor por natureza
me alimenta o espírito de calmaria...
Imagino as mudanças, nas têmperas há temperança
nas idades, cidades e costumes dos sorrisos
Há um quê de paraíso envolvendo esse nicho...
Uma linha tênue de esperança...
Sei, amei humanos e vesti a pele do bicho
desumano...Imagino se já vivi tudo isso...
Vi indomados egos ardidos de valentia 
Compreendi a simplicidade do curador
pré- protetor das verdentas florestas...
Por interesse e simplicidade locomotiva
abrasiva semente que é cura para dor d'alma
Dá o pão p'ra matar a fome do homem
Orvalho para saciar a sede de viver
Nessa ingrata sociedade sem saciedade...
Ah!... Vida precisada de vestir mais calma...

Son Dos Poemas 
100%Sonia Gonçalves
Nenhum texto alternativo automático disponível.

Imagem de sábado
Mensagem de bom dia!
Sondagem, triagem, viagem?
Inspiração ou bobagem...
Tanto faz...
O vento nos leva e traz...
Sábado é dia de vagabundear
Tão bom falar besteiras...
De quando em vez viajar...
Sempre ir amar...
Tomar banho de sol 
Ver gente na praça
No peito e na raça 
Deixar os versos soltos correr
Imaginar a poesia fluir..
Ir e no minuto seguinte vir
Sábado é dia pra Sorrir 
Ver o dia Feliz nascer
Saber o que nos faz acontecer
Eu e você todo dia...

Son Dos Poemas
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto e close-up

A Criança de MIm

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up e área interna

A criança de Mim 

Dentro de mim uma corda criança...
Que brinca comigo e me balança
Dentro de minha velha infância
Uma gangorra de suma importância

Cá pelo meu lado avesso direito 
Um cordel de sonho ímpar perfeito
Meu buquê de lembrança e lambança
Meu por que num carretel de esperança

Dentro de mim um tempo espiralado
Um pensamento elétrico espevitado
Elevado à potência da água da fonte
Inspirado nas nascentes sob a ponte

Dentro de mim um mundo pueril
Um horizonte longínquo infantil...
Meu espírito infanto até hoje juvenil
Meu sorriso discreto leve e sutil...

Dentro de mim mora um Anjo brincalhão
Uma moça criança numa mulher em extinção
Entende meu coração tem dia de rock bebê...
Minha cintura malemolência de bambolê...

Um turbilhão de aventura me espreita...
A guria que me habilita é borboleta
Vive em mim uma artilharia de verdades
A criança que me explica é pura verdade....

Son Dos Poemas 
100%SôniaMGonçalves

Cem Presentes


A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé

*Cem Presentes* Son Dos poemas/Natal

- Então és natal... 
- O que me ofereces de presente?
- Qual é o ato em que entro nessa peça teatral?
- Quem és de fato? Um fato presente ou rabisco de poesia?

- Sou o som do vento que assovia alegria 
- Trago-te o melhor presente minha companhia
- Trajando esses trapos sou sol e alegoria
- Reflexo dos teus sonhos sempre hoje e á cada dia 

- Meus tantos sonhos?... Reitero agora 
- Sempre algo estranho... Assim... fora de hora...
- Novos velhos sonhos... N’alma ainda mora!...Não realizei
- Sonhos e amores, coisas... Que ainda nem sei...

- Bem, venho á pedidos de incerto alguém... 
- Que tudo procurou e não encontrou também 
- Disse-me que viesse e lhe concedesse um pedido...
- Assim estou aqui... Peça e serás atendido.

- Um pedido? Hum... deixe-me ver...
- Quero um amor diferente de todos que já sei
- Que encontre sementes de amor em terras que já plantei
- Em seus olhos quero ver o por do sol e renascer...

- Então... Cem presentes dar-te ei que será assim...
- Sem sonhos intempestivos... Dar-te-ei “Dez” vasos de alecrim
- Que nesse Natal com sem presentes há de passar enfim...
- Não sorrirás mais para o vento, cem sorrisos dará só á mim ...

- Que aconteça então e serão “vinte” e um só coração
- Vinte provas dar-te-ei sem nenhuma explicação
- O sol brilha para todos sem nenhuma distinção...
- É chama que arde em amor é cem vezes sem razão

- Se isso é teu desejo que realize “trinta”então...
- Cometa mil desatinos como um sonho de verão
- Sintonize em minha sintonia e sinta meu coração
- Toque-me cem sinfonias com ou sem som de canção

- Ouvirei então som de clarim por “quarenta” vezes 
- Repetirei e repetirei por meses e meses...
- Beijarei tua boca de mel... Sempre nas alvoradas
- Far-te-ei mil sem promessas com cem horas atrasadas 

- Encontre uma estação “cinquenta” vezes... sintonize! 
- Ouça o som de cem desejos e sincronize!
- Perceba isso tudo dentro de você... Sem deslize
- Dividirei meu som com você... Mas valorize!

- “Sessenta” serão minhas prioridades...
- Sentimentos sem meias verdades
- Ofereço-te cem presentes sem elo com alianças
- Sem esperar nada demais com cem esperanças

- Se perca tentando... ”Setenta” senão der...
- Sê tenta no ano novo... Estarei aqui novamente
- Sementes haverão germinado pelo sol que é recorrente...
- Presenteando o meio no ambiente do ano que vai nascer


- Setenta?... Mas e os oitenta? 
-“Oitenta”? Já é quase cem...
- Sem presentes cem saudade nada sustenta!
- Sem!

- Ah!... Disse-me que atenderia meu pedido...
- Sem arrependimento aos “noventa” do penúltimo tempo
- Mostrarei meu lado zem... Cem por cento adocicado
- Cem mensagens de amizades assim é que sou lembrado...

- Estendi o recado, atendo seu pedido faço-me ontem...
- Como o silêncio e os meus sem sentidos
- Engulo tudo com mais de cem gemidos!
- Misturo com resquícios dos suspiros de outrem...

- Doravante o futuro é o meu presente!
- E aquela estrela cadente...Paz reluzente!

Son Dos Poemas

Só os Anjos sabem

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Só Os Anjos Sabem

Somente eles podem saber...
Aquilo que ninguém mais pode ver
Somente os Anjos podem sentir
Todo o amor que me fez sorrir

Mesmo que sejam Anjos caídos
Ainda assim... para Anjos terei eu sorrido
Mesmo que dos jardins sejam extirpados
Todo amor de verdade terá sido plantado!

Somente os anjos saberão meus segredos
Guardarão para sempre junto com meus beijos
Em trégua meus pés sabem os nós amarrados
A dor e a delícia de saborear os pecados...

Anjos meninos peregrinos na Terra
Concepção dos sentidos que fluidifica em artéria
Extensão de amor em sangue e matéria
Batimentos que pulsa o coração e emperra

Bailando os pensamentos que pairam no ar
Sem querer faz deduzir coisas boas...sonhar...
Enfeitando o ambiente com estrelas
Dançando com asas de ilusão... Voam!

Somente Anjos podem sentir amor tão perfeito
Saber a delícia que é abrigar em seu peito
Anjos que cantam amor em poesia... Doces desejos!
Cores que se encontram... Almas em lampejos!

Son Dos Poemas
SôniaMGonÇalves

Fim Do Natal


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, água, atividades ao ar livre e natureza

Fim Do Natal*

Findo...
Findado o natal, logo carnaval...
E todo ano é sempre igual
Vindo...
Um baile á fantasia de virada
Desfile de almas reidratadas
Outra rodada de ciranda
Para o mundo brincar de roda
Para nós pularmos cordas
De mãos dadas com velhas cantigas
Cantarolar...Renovar o mundo com velhas intrigas
Novos namoros em velhas varandas...
Novos riscos e novos petiscos
Novas compras em velhas quitandas 
Velho céu e novos coriscos
Velhos amores e novos feitiços
Novas taças...e novos rabiscos
Todo o tempo e o tempo todo é isso...
Pegar onda em caldas de sol e mar...
Saborear...
Tomar muitos caldos salgados...
Beber beijos sonhados sem sal
Deixar o mundo de férias até o próximo Natal!
Sorrindo!


Son Dos Poemas
A imagem pode conter: texto
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, casamento e texto

Enluarada

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Prelúdio do meio dia

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Prelúdio do meio dia
Só meio trecho do caminho
Para o desfecho que me acareia
Prelúdio para te acordar
Feito o mar que preludia...
Só p’ra na areia ir deitar...
Me predisponho cá...aqui...
Passarinho cantante
No céu do meu lugar
Dias nostálgicos tristonhos...
Ah!...deixa pra lá...
Há uma plantação pá de sonhos
Bisonhos pés de tanto imaginar...
Ah!...Há...
Joaninhas no pé de maracujá...
Pé de beijo e arroz com feijão
Pé de amor perfeito 
Pé de açucena e grãos
Pé de poema e alimento
Pé de fetiches que invento...
Pé de flor de azeviches
Pé de silêncio profundo
Pé de utopia oriundo
Pé de magia plena, ora vixe!!!
Pé de café que esperança o mundo
Espanta esse bicho bicudo
Recolhido no ninho, sozinho, sisudo
Pede que te faço um prelúdio...
Te curo depuro decanto
Só enquanto te respiro 
Te suspiro por encanto
Te faço um prelúdio 
Ao meio dia acalanto...

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

Riqueza de Salomão

A imagem pode conter: texto


Se muito da riqueza de Salomão
estava sempre provir de Ofir...
Em ouro pedras preciosas
e madeira com cheiro de sândalos 
A minha está por vir sentir efluir
teu aroma e deixar afluir tantos desejos...
Beijar-te os olhos estrelados e despejar-te na boca doce um bom-bocado de poemas 
Já inspirados...
Ao ver-te surgir fulgir os meus olhos rasgados delineados de fantasia
Com fagulhas de lápis lazúli e centelhas de ninguém em contemplação
Me despir com teu olhar de mar, âmbar...
E me vestir desse escândalo...
Apoiar a mão sobre teu coração no peito
E saber que não é de murano que és feito.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

Candelabros


A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado


Candelabros

Sol de candelabros
Luz que ilumina o caminho
Castelos de sonhos...
Coroas de espinhos
Nas alamedas floridas
E arborizadas, restos de vidas
Por toda a calçada
Gente drogada e inanimada

Sem vontade pra vida 
Sem vontade pra nada
Só o que lhes resta
É sonhar acordados
Com seres da floresta 
Bruxas e fadas

Sentam-se a mesa 
Em meio às riquezas
Joias ostentadas
Bebendo vinho, encantadas.
Fadas e rainhas, embriagadas.

Nos lençóis de seda, desejos... 
Amarfanhados no leito
Nas alcovas dos amantes 
Ninfas e brilhantes

Nas aldeias distantes
Nas Ilhas perdidas 
Os filhos do vento
As vestimentas 
São sóis e margaridas.

Céu de candelabro
Cobrindo a cabeça
Tapando a visão
Gente drogada 
Jogada no chão
Vivendo em vão.

Sonia Gonçalves 23/04/2013

Quado o Sol Sair

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, texto



A imagem pode conter: texto

Os sabores que guardamos...
têm gosto de aventura
misto quente de inocência
recheado de travessuras...
Mistura de chocolate 
com licor de menta
Alimenta meus devaneios 
até hoje o gosto inocente 
do beijo que me assedenta...
O gosto bom de croissant
feito com massa folhada canela e maçã...
Sabor de vinho e amizade
Chocolate e alcaçuz...
pura essência 
Gosto de saudade..
Que o paladar seduz...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves






















Nenhum texto alternativo automático disponível.

Dia esplendoroso


Nenhum texto alternativo automático disponível.

Dia esplendoroso <3 div="" nbsp="">

Gestante a noite dá luz ao dia...
O Poeta ordena, comece a folia!
E o mundo aparentemente faz sua cesariana 
Sem postura abre as pernas às coisas cotidianas...
Enquanto isso, Gaia prepara o sempre 
clareia as areias e águas praianas
veste o mar com saias longas e asas de barbatanas
As humanas cabeças se abrem às coisas mundanas
bocas com cicutas e sopros de zarabatanas...
Mas nada disso nos priva do ideal
Ainda nos cativa e vamos dançar!?...
Porque o nascente hoje é fractal
E meu sonho vigente é totalmente factual
São pequenos cristais de grandes desejos ...
Para repetir o novo n’outro futuro
O tudo de que me nutro é nascituro...
E eu juro!...Em alguns lugares caem 
alvos flocos de neve
Cá, branco?...Só refrão do céu azul
E o globo ocular do meu poeta rei...
Fragmentos de pensamentos ...Bem, eu sei...
Ramificação do coração em... Hallelujah!
Estendido ao reino dos 10% da minha cabeça animal.
Aqui o grito do pica-pau me desperta á manhã pardacenta...
O Poeta do cotidiano corta o cordão umbilical
E faz mais um no meu entender, parto normal ...
M’eu “Poeta do Universo "compactua...
Conspira com o Sol e brinca de casinha na Lua...
Nos mantém ligados à placenta da Terra
para alimentar o dia que hoje nasce....
E amanha cedo ou tarde se encerra.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves

Viver...

A imagem pode conter: noite

Viver...
Vim ver...
O vento regozijador
O sorriso do Anjo 
O Amor por Amor
Respirar bem fundo
Sonhar a utopia
Carregar a poesia nos olhos
Apesar dos abrolhos do mundo...
Ver o velho que se credita
E o sonho novo que se cria
Vim ver...
Quando o bem ressuscita 
Como é bom usufruir
Bom Viver!
Se você crê....
Só deixar fluir.

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonÇalves

Visão Celular


A imagem pode conter: sapatos

Visão Celular
Na ponta tecnologia Wi-Fi
nas partículas da rede...Uai!..
a biologia da célula tem sede
não há intercomunicação sem rede...
O verbo de ligação é poesia tecida
à citologia no corpo celular é lida
No olhar languido a interlocução 
na reciprocada alma´boa sensação
ao pé do ouvido o código roteador
No núcleo da célula pródigo Amor...
Ah,...Comunicação que nos valha!...
Dentro dessa parafernália
uma cigarra louca me canta
na fornalha da memória binária
Sela minh’ expectativa
do sempre encontrar a recíproca
do palavrear em coro...
Na lua , na rua, n’outro logradouro
Não importa a estância...
A corrente do pensamento assegura....
Aternura o corpo celular à distância
Dá corda ao vocal...
Planta um horto de ESPERANÇA!!
Na pele curtida, na vida de fato...
Há cactos e orquídea 
Num buquê cabedal!

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonÇalves

Tantos Sãos Natais


A imagem pode conter: texto


Tantos sãos natais...Que desfrutei sã... 
Comi cérebros no formato de noz “pecan”
com simpatia degustadora...
Já posso me dizer “desfrutável”
preparando as romãs...
Para o Novo Ano PORTENTO
Re-comendo poesias, mas,
Como alimento...
Para desfrutar compotas...
E as rubras sementes das romãs?
Para quem, sei lá...Gosta?
100% “abundância” 
Para um novo TEMPO!
FOCO no que Importa


Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonÇalves

sábado, 9 de dezembro de 2017

Poema Público




Poema Público

Meu poema é Bem liberto...
Doo aos prazeres não mundanos
Resgato das cordilheiras do infinitivo 
É um poema de acalanto Bem primitivo
Para os quem têm desengano
Se está vivo há esperança voa no céu...
Intercalada feito pomba de papel
Em toda parte faz parte dentro do encarte teu
Existe um pedacinho é só pegar ao léu é seu...
Meu plano é harmonizar sem fim
Levar paz e amor ao espírito
Sossegar a alma de tu e de mim
É meu poema do Bem que te rabisco
Degusto pois o sabor é poético petisco...
Rústico mas composto de carinho
Meu poema é Bem público e amável
Asa de aconchego e Bom auspício
É augusto passarinho...
Cujo vício é avoar
Levar Amor pelo ar...
Confortar com
Paz e Luz
Seu lar.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves