segunda-feira, 22 de maio de 2017

Magia



Magia
Margeio um mundo de encantamento...
Quando o vento fala o idioma contrário
O feitiço perde-se no vão pensamento
E a rosa dos ventos gira sentido anti-horário

A magia faz acender a chamada paixão...
Um lume de beijos é pavio do estopim
Dez vezes é a justa prova da inquisição
E pós os desejos se flambam em mim

Sortilégios são sementes in naturas férteis
Nem preciso ver para crer como São Tomé
Amarelejadas folhas acenarem voláteis
Magia é viver de fato sem válvula d’escape

Margear o céu azul por fantasia lírica
Inspirar poesia em cordéis de borboletas
Na orla da lua decifrar a magia argírica
E todo encantamento lançar ás estrelas

Assim olho por magia a tintura do alcatrão
Vejo enluarada a subtração dos sentidos
Roubar-me o ar e enfeitiçar o coração
Numa súbita atração toda magia é poema.

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

Cheia de Vida



Cheia de Vida
A vida é cheia de embutidos...
De comidas enlatadas 
Saladas cruas contaminadas
Detalhes entalados na garganta 
Versos entalhados no cerne 
Nas veias, ceias e jantas 
A vida é feita de observação
Labuta água com açúcar e limão 
Um manto de explosão um fio só de calma
Tantas poesias num canto específico d’alma... 
Poção doce, salgado do âmago pacífico
Por isso inteira, metade da laranja ao coração
A vida é uma cúpula de meias desculpas 
Curta é a mão dentro da luva ou não...
O tempo faz amansar os instintos...
Degustar um bouquet de vinho tinto...
Comer um buquê de queijo 
E pra tirar o gosto ás vezes insípido 
Um molho de beijos com perfume cítrico...


Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

domingo, 21 de maio de 2017

Sem Fim


Sem Fim

Arde em mim... Arde em mim...
Ai de mim faltasse você seria meu fim...
Sem teus beijos para eu morrer 
Sem teu ar para eu inspirar e renascer

Sem tua voz de trovão para eu despertar
Sem teu peito de homem para eu me aninhar...
Ter teu cheiro bom em minha pele infiltrado
Não dizer teu nome e sussurrar-te meu amado...

Que o nunca seja sempre aqui o apogeu
Minh’ alma poética gêmea e amada
Ter-te sempre enigma para que sejais meu!...
Ser eu a esfinge por ti devorada...

Estrada sinuosa que me conduz ao céu...
Língua que me queima a língua em fogaréu
Com fins seja teu olhar em me despir
Abrasando-me a carne em junção ventre unir

Lábios que sugam e me lambuza de mel
Teu orvalho marcante em meu olhar de rímel
Infinito seja como Mozart oração de réquiem
Canção que é para mortos, mas dar-te luz de vida além...

Sem fim sejam tuas páginas alvas para preencher
Que seja minha luz ilumina-te escrever
Inspira-me ‘alma com teus braços de ramalhetes...
Adoça minha existência com teu olhar de diamantes

Sem fim seja tua existência sem cruz
Unindo poema e poesia em luz...

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

Minha Vida é Escrever



Minha Vida é Escrever!
Amo!..Pensar, deixar fluir o inspirar, mas para isso não dá pra conversar sempre o tempo todo, pois o tempo voa...
Tenham paciência, a ciência me diz, se não escrever posso morrer e quando morrer quero me deixar pura escrita, estou ciente disso e justamente minha ciência explica e assim me justifica. Gente, eu Amoo D+++ escrever e alguns poetas escritores, escrevem rapidinho, comigo é tudo muito lento, adoro degustar tudo bem devagar, aproveitar a inspiração que me sopra o vento, raciocinar, imaginar, subtrair, somar...Isso leva tempo
😋😋😋 =D (pelo menos para mim)
Por isso aos amigos que me podem ver com antipatia, digo-lhes sou "Sô Ca-fé & Poesie//
SÔ POESIE "Son Dos Poemas" sou só poesia, e ainda que não publique graças à Deus a inspiração não me falta, estou sempre à escrever, então peço mil desculpas para você se demoro pra te responder ok?
O chat toma muito tempo e requer uma net bem ligeira coisa que não tenho também, vejo que amigos me add esperando bater papo eu não correspondo, então me deletam, não ligo, pois quem gosta da minha arte de escrever permanece, para me ler e quem sabe numa dessas brechas que o tempo dá, sopre um vento eu abra a janela pra conversar um pouquinho.A vida é muito corrida, eu AMOOOO vocês, mas não dá pra falar com todos. Desejo de <3 boas="" br="" coisas="" de="" eijos="" luz="" mundo="" pra="" s="" um="" voc=""><3 img="" lindos="" src="https://www.facebook.com/images/emoji.php/v8/f6c/1/16/2764.png"><3 br="">
Alguns têm seu próprio Alazão...
Eu?
Tenho tantos que não posso segurar, num só lugar
correm livres, sem rédeas na minha imaginação.
Son Dos Poemas *SôniaMGonçalves

https://www.facebook.com/SoPoesie/
https://www.facebook.com/sondospoemas/
http://sopoesie.blogspot.com.br/
http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=128852
https://www.instagram.com/son_dos_poemas/
https://plus.google.com/u/0/+SoniaMGonçalvesEscritoraePoetisaSonDosPoemasS1

O Primeiro Amor



O Primeiro Amor

De repente surge o dia primeiro...
A nebulosa vem num segundo
Sabendo-se no quarto o luzeiro
Abrido está o ano p'ra o mundo

Inda que calendários diferentes
Cada segredo contado á maneira
Horóscopo chinês animais vigentes
O leque é aberto segunda-feira

Meu primeiro amor ainda conta
Ressurge a cada dia promissor
O coração conduz a cabeça tonta
Orvalha meus olhos já sinto flor

Saudades d’tu e d’minh’ alegria
Da folia na estação d’outono
Da primavera d’poema da poesia...
Dos anos idos meu amor profano

Olhos insanos por amar mais louco
Nossa livre entrega na hora agá
Na curva do “S” nosso cais e porto
O vinho mais doce na tal hora “H”

Meu primeiro amor derradeiro
Despertador d’minhas auroras
Serás sempre o último e primeiro
Amado a cada segundo e minuto d’horas

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

Sopra Você


Sopra Você

Só pra você guardei meus encantos
Meus delírios martírios e os lírios...
Os encantos que me margeiam e seduz
Minhas canções prediletas minha luz

Só pra você ofereço aquele tal licor
Aquela rosa que me disse furta sua cor
Pra você todo meu suor doce e salgado
Só pra você meu amor... Meu amado!

Sopra você essa chama e acende-me...
Diz para mim sonolenta... Entende-me...
Deixa minha alma descontraída e leve
Dá-me teu beijo na boca se atreve...

Sejam breves demorados...
Demolhados em nossos olhos apaixonados
Desfaça meus cabelos deixe embaraçados
Assopra meus pelos deixa-os eriçados

Dá a deixa para eu meu deixar tua
Segura minha mão e me conduz seminua
Vestida de adolescente inconsequente 
Mostra-me a rebeldia do sol a pino

Quebra minhas rimas e me faz louca
Responde meus versos colhidos na boca
Bagunça minha pele e minha vida
Lambe minha alma me faz atrevida...

Diz que sou sua musa eterna amada...
Querida...

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

A Língua do Beijo


A Língua Do Beijo

Corre a língua solta falando do beijo
Dizem que a língua fala a língua do desejo
Tanta ciência e versão para o ósculo da boca
A verdade é que o beijo faz a boca absorta...

Tantas luas e veredas mordem línguas afoitas
Mantras de vontades libertas águas revoltas
Em pé de igualdade a língua dança bem solta
Absoluta impulsiva sorve e deseja aflita

Épica a voz que canta em tuas cordas vocais
Rouca a voz te apoema arrasta para beira do cais
E a língua fala fonema e promete nunca jamais
Mas o beijo é de cinema e na tela enfeita os finais...

A língua escreve o final com sedução e liquidez
Fala o beijo de língua com sensação que tudo fez
Diz falar a língua dos homens e Anjos com fluência 
Aprender uma nova língua ás vezes requer paciência...

Há intenção é jogar com a língua alucinada
Dançar um tango no céu da boca beijada...
E o beijo vira poema de uma forma inusitada
Convida outra língua para dançar de virada...

Serena madrugada dá ás estrelas em sonhos cadentes
E corpos dançam ao som dos poemas estridentes 
Aos gritos e sussurros das línguas entre os dentes
Falam a língua dos beijos molhados e ardentes....

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

Sô do Tempo/Sô do Vento


Sô do Tempo/Sô do Vento

Sô do tempo onde nasce o vento...
Sou o som do substantivo próprio
Sou o número imparcial do conjunto
Sô teu adjunto meu singular colóquio

Sô o som da tua adivinhação loca
A transição da hora que crepusculejo
Sou todo o verbo no tempo da tua boca
O beijo n’alma n’palma que me dá molejo 

Sou o vento tremulante no beiço em desuso
Os sorrisos carnudos nos lábios basculantes
Sou o diamante no lusco-fusco difuso
Os fragmentos dos pensamentos coruscantes...

Sô o acorde chiado do fólio que vai e vem
A letra muda na variante do acordeão
O som mais afoito do desejo que tu tem
A Paz e Bem no caminho por intuição

Sô o som no coração do vento fragoso
O dia chuvoso no tempo uniforme e lívido
Seu doce sabor real no vinho bem licoroso
O amor plantado num cruzamento híbrido

Na tua voz de mel rouca meio ensandecida
Nos ramos das tâmaras mais adocicadas
Sô só o vento do silêncio das lufadas
O pingo de orvalho ás manhãs borrifadas...

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Amor Dorido



Amor Dorido

Existe sempre dor num grande amor
Embutido no afastamento involuntário
No amor abrupto plantado em definitivo

Nos olhos vivos cristalizados de orvalho
Amor é tão dorido quando bate na alma
Essa chora feito uma Florbela Espanca

Aflora feito fértil canteiro a dor suplanta
Planta em si esperanças amarelecidos girassóiss
A garganta emperra e o pranto decanta nós

Se encanta como flor do solo regurgitada 
Dos pulmões da terra do diafragma que vibra 
Da contração dos órgãos, músculos e fibras

Equilíbrio absoluto dos desejos que esparramam
Amor é verbo conjugativo todo dia se declama
Inútil é tentar definir amor com substância

Amor não cabe no palavrear quando se ama
Tão imenso não cabe no diâmetro do mar
Amar é ilusão de graça, se graça expressão Amar

Cabe por dentro do elemento do pensamento indiscreto
É conjectura apenas tema é eco poema poético... 
É miragem à lua plena do álgido universo...

Crisálida em crisântemo no fio do vento
Invólucro revestimento d’ alma embira de pupa
Efeito borboleta que voa conforme o tempo

Penso, Amor é metamorfose florente sem culpa...
É intoxicação de essencismo pela essência da fruta
Amor é surreal dentro de um ideal é vidro e cicuta

Amor é sonho secreto repartido, é líquido, é sólido ingerido...
Amor é remédio, almado, tomado irremediavelmente dorido...

Son Dos Poemas*SônaMGonçalves

terça-feira, 16 de maio de 2017

Assombroso



Assombroso...
Olho pela janela e nada vejo...
Sinto um vento sinistro roubar-me um beijo
Uma confusão de coisas meio sombrias
Não fosse eu alma de poeta e pensasse poesia
O que penso é o que pensaria
O que faria com essa aparição?
Materialização esquisita...
Mostraria uma cruz feita com os dedos cruzados
Bateria o queixo e tremeria de medo
Desse portal mal assombrado...
Bommmmmm!!!
Pronto ouço relâmpagos e um trovão
Uma trova miúda com grande inspiração
Uma nuvem gigante nebulosa
Fumaça dispersa em cor de rosa
Ah!...Passou, era apenas um manto de poema.
Vestindo poesia feita de trova....

Son Dos Poemas 
(In Devaneios Poéticos) rsrsrsrsrs

Canto Utopia


CANTO UTOPIA

Ouço a poesia assoviar com certo zumzum...
Quem sabe soprada dos mares de Portugal
Ou talvez d'ma pia d' utopia em trama debrum...
Quem sabe não seria uma fênix imortal...

Ouço mesmo um grito de utopia...
Pio de coruja gritando que bem me quer
Ao longe minh’alma entre brumas assovia
Exala pelos ares uno perfume de mulher

Medito ao vai e vem do pensamento...
Inspirando poesias ao bardo cavaleiro
Visto asas coloridas de utopia ao vento
Uma Marília a espera de Dirceu viageiro

Tantos são os contos das lendas utópicas
Fadas e cânticos de sereias feiticeiras
Mitos quiméricos magia e coisas exóticas
Um mundo de fantasia ás cordilheiras...

Canto á utopia com passos de bailarinas...
Apaixonadas por soldadinhos mundanos
As rosas vermelhas das ciganas dançarinas
O poeta e a menina e os cristais de muranos...

Utopia é navegar o poema em alto mar
Guardar uma resma de poesia nas estrelas
Abrandar as interferências e dançar ao luar
Ir á Marte vestida de utopias vermelhas...
E num piscar de pálpebras voltar...

Son Dos Poemas

domingo, 14 de maio de 2017

Mãe senhora do mundo



Mãe senhora do mundo

Mãe som de poesias tridimensionais...
Pétalas, orquídeas e açucenas elegantes
Fonte dos deuses vigentes atemporais
Fadas aladas com asas e ombreiras gigantes...

Mãe deusa una no nosso coração imortal...
Lembrança do cheiro do colo perfumado lactante 
Do lactente o abrigo o alimento o bem real
Da gente a memória da vida boa e radiante

Morte e vida Severinas, Marinas,Helenas, meninas...
No grito ou no choro das chegadas e despedidas...
Da poesia parida ao fio colorido das melenas
Das três Marias das estrelas fúlgidas...

Mãe de todos os poemas e dimensões
Dos Anjos das coisas etéreas e beneditas
Das dores felicidades e sofreguidões
Dos amores incondicionalidades e infinitas...

Mãe de toda a magia a mais potente
Rosas de todas as cores carameladas...
Diadema de flores ou espinhos simplesmente
Semente e ventre de “gaia” germinadas...

Mãe a poesia mais linda e bem escrita...
O arrimo da natureza vestida de poente
O mapa do tesouro a joia rara e bonita
Amor eterno de sempre e sempre presente...

Son Dos Poemas #SôniaMGonçalves

foto de mundo de los elfos


sábado, 6 de maio de 2017

Sorry (desculpe)


Relacionamento


Terra Telúrica


TERRA TELÚRICA
Aniversaria a deusa telúrica
Mãe natureza em extensão e grandeza
Cabalística mística Gaia em supra pureza 
Com densidade e capacidade intríssica

Sutileza da deusa essencial ao viver
Berço que acolhe no veio escorre na artéria
Reabilita sempre o ciclo recolhe a matéria
Eleva o espírito sob o ventre que aterra o ser

A beleza gestacional cuja terra fecunda
Rotatividade que arde em torno do Sistema 
Planeta que gira no eixo da estrela apoema
Ar de arte, terra e fogo à mar se inunda

Terra do navegador do homem e do amor
A mãe fértil e sensata que o solo germina
Gaia que a fome mata e o primata nina
Deusa-terra que a oração oferta em flor

Hidrata a sede e a pele de quem d’água carece
Em seus tantos riachos, açudes e nascentes
Completude dos rios eleitos das fontes e afluentes
Virtude é ter e ser preservar Gaia que a vida floresce.

Son Dos Poemas *SôniaMGonçalves
imagem google

domingo, 30 de abril de 2017

Substância


Substância

A natureza é por excelência 
Sólida ou líquida pura substância
A essência contorna o corpo além da matéria
O pó da aparência a vã florescência

Está pré-subsidiada na alma etérea
Torna a essência do ser em rutilância
Extrai lá do fundo d’alma fragrância
A pureza genuína em beleza sidérea...

A substancial filosofia dá massa cinzenta
Coração em amor depura poesia em síntese 
Paixão sem consistência adura é antítese 
Entre dura e mole à substância se sustenta

Amor verdadeiro nunca aterra não encerra
Desce lúgubre sob a fornalha crematória
Sobe lendário sobre a nuvem expiatória
Vive vivo sobre os campos à flor da terra

Toda substância é ingrediente de composição
Compõe e descompõe e busque-nos explicação
Amarra e liberta voa e poeta em aquiescência
Abstrai e alimenta mata a fome em substância.

Son Dos Poemas*SôniaMGonçaves

Sinestesia




Sinestesia 

Coleção de tantas expressões...
Associações em palavras genéricas
Em conjunto um rol de impressões
Nos sentidos de alertas cenestésicas

Somente o amor à dor dá anestesia
Carinho e afeto são folhas de unguentos
Palavras podem acariciar em harmonia
Vê a sinestesia é do Ser entendimentos

Um mundo de sensoriais em sensações
Ilusões são sonhos e criam quimeras
Transformam utopias nos nossos corações
A arte que livre circula pelas tantas artérias

São como as chuvas que embebem os ares
Os sentidos úmidos captam a sinestésica
A estética moldura as palavras ao revés
Faz a combinação perfeita ser plasmática

Tudo depende do sentido no sentido básico
Da cinestesia dos músculos em cortesia
Dos corpos que causam estímulos trifásicos
Da ligação iônica com alquímica poesia

O crepúsculo chega com querer  sobre-humana
Sob a luz dos astros meu desapego do mundo
No simpático do hipotálamo a hipótese mundana
Assim me floresço no vaso mesentérico mais fundo.

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

A Leveza do Ser




A Leveza Do Ser

Abri a janela do jardim secreto n’alma querente
Pelas frestas vi um ser de magia ascendente
Tinha voz de poesia ardente e apaixonada
Recitava minha querida... Minh’ terna amada...

Dourava-me a pele com reflexos solar
Irradiava afeto e meu amor era puro amar
Por tanto querer me aconchegava em seu peito 
Mágico e sedutor era seu beijo mais que perfeito...

Vi ali um mago sereno em pleno halloween...
Bebia minha literatura e admirava Anaïs Nin
Ah!...Doce travessura falava de amor sem fim
Olhava-me nos olhos e sorria-me em marfim

Falava que sentimento não exige explicação
Que movimentos do vento são uivo e canção
Lembrava-me Meireles quando vestia ousadia
Ouço ainda a consonante voz de sua poesia

Toda leveza está em saber-se humano e mais nada
Amar ao sabor do tempo sem razão emocionada
Insano é acreditar poder governar o sentir
Perder-se em poesia é escrever seu existir

Fazer dos momentos bons e validados
Poetizar os serenos pelos campos enamorados
Cumpliciar-se em amor inusitado e singular
Perolar as almas poéticas, amar e amar...

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

Estado de Borboleta



Estado de Borboleta

Todo dia um novo rito...
O primeiro do terceiro ciclo
Meu estado de crisálida figurado
Á pálida manhã de um outro estado...

Sem casulo pra me abrigar
Senhora dona do meu aluar
Sô eu mesma em três tempos...
Permaneço em ti nesse momento

No pretérito do futuro em algum lugar
Na orla dos olhos pensativos
Nos desejos primitivos
Na ponta dos dedos meu enredo...

Minha brigada é guerra constante
Minha vontade tem asa volátil 
A briga é meu continente de rimas
O apoio é supremo vem lá de cima

Vagueio em contingentes ao luar
Caminho ás circunstâncias volantes
Conforme a variante do som sô mutável
Tudo me parece moldável clichê

Hilário é ouvir o papagaio cantar ópera aqui...
E pensar que meu clichê é amar você aí...

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves

Mel particular



Mel Particular

Com sabor de poesia transcendente
No sentido auricular que te ouço
No gosto da mordida transeunte 
O vampiresco beijo no pescoço...

Na boca que cala inebriada
Na expressão da face mais ridente
Na gélida saleta se quer notada
A felicidade arraigada na língua ardente

Todo mel particular transluzente 
Toda luz perpendicular do radiante
Nos olhos luminosos o querer reluz
No néctar da flor o doce seduz

O mel está na partícula da flor da laranjeira
No meu infinito tempo em véu de esperança
No fel do leite que jorra da fértil figueira 
Nos recônditos d' alma no céu de lembrança

O destino que testa e doa-nos esta herança 
O feitiço incandescente num lume de beijos
A oferta ao m'eu poeta em eterna querença
O perfume impregnante no buquê mil desejos...

Son Dos Poemas 
Sônia M;Gonçalves

Poesia inspirada no livro O mundo de Sofia



Atendendo ao desafio da minha amiga Sandra Boveto da Silveira que foi desafiada por um também amigo seu...
Dizendo que deveria:
"imaginar-se como personagem de um livro famoso - imagine que você é ele em todos os aspectos. Tente escrever um poema como se fosse ele escrevendo. Marque seus amigos e os desafie."
Como parte do desafio, convido os amigos


Poesia inspirada no livro O mundo de Sofia

Conhecimento é reter a informação e usar com sabedoria...
Quem nos dá a inspiração e faz da filosófica poesia,
o que é mesmo verdade e o que é pura ilusão?
O quanto me cabe conhecer sobre a origem real do mundo?
Quanto cabe do mundo na palma da minha alma em verdade?
Quanto de conhecimento cabe dentro de mim?
Para onde levarei tanta informação no fim?
Sou eu quem diante do espelho faz a reflexão,
ou apenas um foco de luz me dá projeção?
De quem é a mão que me segura a cintura?
De quem é a cria e de quem a criatura?
Quem somos nós, nessa dialética da filosofia socrática?
Quem sou eu nessa prosa poética de chama policromática?
Diante do espelho quem é a sombra com quem me pareço?
O corpo que vejo é meu pelo direito ou sou eu pelo avesso?
Quem responde a enigmática das tantas filosofias?
Responda espelho, vê se me escuta...
Por que o mais importante filósofo tomou o veneno da cicuta?
Quem de verdade compreende Platão de alma e coração?
De repente velejo em todo reflexo desde o boom da criação
Devo sim ser Sofia, em nome e significado pura intuição
Minha sede é saber qual foi a argila que me amoldou
Me pergunto então se existo, qual o grão de poeira
ou foi pó de uma estrela que me gerou?
Me encontro confusa, mas sei, sou diferente do inanimado
Se, somos mamíferos vertebrados e isso é algo concreto
Se, somos dotados de crânio e espinha dorsal é isso é um fato
Se os pássaros podem voar e eu posso me imaginar
Se, posso pensar tudo isso é porque eu existo
E se existo vou pensar sobre isso um pouco mais...

Sofia Amundsen diante do espelho falando consigo mesma.
O mundo de Sofia *Romance da história da filosofia
*Jostein Gaarder
Son Dos Poemas *SôniaMGonçalves