domingo, 24 de março de 2013


Colhendo centelhas


Plena com minha menina...
Revelando em mim a felina...
Resgatando toda a feminilidade...
Voltando á amar de verdade.!

Num mar de felicidade...
Bem dona da minhas vontade...
Realizando-me!
Resvalando em desejos...
Entre abraços e beijos...
Insanos e tão loucos...
Que á mim pareciam poucos...
Pelos anos de calabouço...

Que vivi como dentro de um fosso.
Mostrando-me em ser absoluta.
Libertando em mim a conduta de coisas formais...
Sempre tão iguais...

Colhendo milhões de centelhas...
Num campos de sonhos...
Entre lençóis de cetim...
Bordados num céu de estrelas!

As marcas do meu batom...
Tatuaram a pele tua...
Mesclaram em outros tons...
Nossas verdades... Nuas e cruas!

Tão profanos nossos desejos...
Quão ardentes foram teus beijos!
Tocaram-me feito uma flauta...
Á cada pausa uma nota...

Em cada voar de gaivota...
Eu me sentia no céu...
Voando em total liberdade...
Senti o que é amar de verdade!

Agora que já passou...
Comigo só as centelhas...
As estrelas deixei contigo...
Para o caso de querer revê-las...

Comigo tocá-las de novo...
É só trazer os lampejos...
Pois os desejos de beijos...
Ainda estão acesos...

Para colher as centelhas!

Postar um comentário