sábado, 27 de abril de 2013


 Graça e Contemplação


Acordo dos meus sonhos
Para viver meus dilemas
Para meu banho uso sais
Rosas pétalas e florais

Para perfumar água de cheiro
Com chás aromáticos bem naturais
Para enfeitar com esmero
Muitas velas e castiçais

Iluminando os caminhos
Colho rosas deixo os espinhos
Podo os galhos permito os raminhos
Realizo tudo sempre com carinho

Volto para o meu eterno ritual
Fitando o espelho um batom cereja
Corro o olhar sobre o visual
Escolho o traje na maior peleja

Agradeço a vida cedida para mim
Traçadas em bordados e arabescos
Perco-me nas flores em meio ao jardim
Ouço músicas decorando os trechos

De fronte a janela contemplo o horizonte
Com olhares langorosos penso no amante
Sinto-me pequena num mundo gigante
Lembro-me que hoje nada é como antes.

Através da vidraça pinto uma tela
Imagino um veleiro sobrepondo os montes
Penso num jantar sempre á luz de velas
Nesse ritual contemplo o horizonte.

Sonia Gonçalves 25/03/2013


Postar um comentário