domingo, 26 de maio de 2013

Asteriscos de poesia


Seiva que alimenta a vida
Como pão e respiro magia
Riscos de poesias bordado em amor
Sonhos e delírios bordado em poemas

Poeira das estrelas ventos e velas
Violetas e canela em vaso de flor
Dias sedentos versados em janela
Noites vazias sem lençóis de amor

Para compor o olhar arco do triunfo
Vitórias e guerras pintadas em telas
Para adoçar a vida amor em poemas
Alimentar a boca beijo de cinema

Saudades sopra o coração
Vento triste entoa a canção
Meu exílio do apogeu dos sonhos
Vivido nos trilhos

De uma velha estação
O trem que apita sem fumaça
A vista orvalhada lágrima e emoção
Olhar quebrando a vidraça da contemplação

Dos olhos que olham a imaginação
Sabota e estilhaça a nuvem da paixão
Trapaça do tempo que a velocidade corta
Proposta que imposta na separação

Almas em sintonias num céu de agonia
Reeditam-se em sonhos de papel
Pedindo refrão da reparação
Um bis outro dia uma nova canção

O arco do triunfo recompondo a espera
Uma nova era em todas as estações
Inverno primavera e verão
Nas ruas do outono amor a maior ilusão...

Sonia Gonçalves 24/05/2013
Postar um comentário