quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Rosa De Vidro

Silêncio não planejado...
Dia calado que a boca não grita
Voz do vento não sussurrado
Lágrima de vidro que o olhar súplica

Rosa silenciosa orvalhada em negro
Boca beijada que a língua cala
Lágrima que escorre o amor de vidro
Aroma sem perfume que o silêncio exala

Sonhos de cristais de cinderela triste
Vento sem litoral e sem montanhas frias
Brisa que chora em silêncio assiste
Todas as manhas sem manhãs de poesias

Silêncio entre dentes riscando recados
Sem os rompantes tão famigerados de amor
Sem matar a fome abortando os pecados
Sem indiferença abraçados com a dor

Rasgando nos ares intempestivos
Com brados incompreensíveis em mente
Amargurando o doce passivamente
Trancafiando o peito sensitivos

Conectados em pensamentos de raízes
Sofrendo... Dimensionando o amor.
Sintonizados em arco-íris e matizes
Transformando vidro em lágrima e flor

Rosa de vidro tão transparente e pura
Apaixonada pelo cravo eternamente...
Petrificada como água mole em pedra dura
Pelo sal da terra hoje e sempre.


Sonia Son Dos Poemas

Postar um comentário