domingo, 19 de janeiro de 2014

Me Empresta Um Sorriso




"Me Empresta Um Sorriso"

Meu Deus quanta serendipidade!
Vento de acasos, soprando casos, que são verdades
Poetas, por todos os cantos chorando aos prantos
Falando de amores, secando as dores com passividade
Lavando flores com suas lágrimas... De tantas saudades...
Me empresta um sorriso?
Navegar é sempre possível e imprescindível
Só é preciso olhar pra frente e ver toda gente...
Olhar pro céu e ver as cores vivas
Se for de noite olhar as estrelas
Sendo de dia assoviar um mantra
Contemplar a vida e ela te encanta
É bom existir!
Não desistir de sorrir, de viver, de amar...
Então parem de chorar e sorriam, parem de resmungar...
O amor nunca parte, está em toda parte e lugar, ele mora em você.
Não é o amor que te tem, você quem tem o amor e dá para alguém
E se esse alguém não quer... devolve pra você... Que o tem!
Quem você ama, só inflama, porque você é chama que queima.
Te chama e faz acordar o amor que em você reina.
Faz te ascender em chamas para lua
O amor é teu bem, que te mantém prateado
Como uma simples matemática a resolução te eleva ao quadrado
Te iluminando em potência máxima
Incandescendo sua essência divina
Então parem de sofrer por favor, olhem o amor, sob olhar de outro prisma
Não posso mais ver tantas lágrimas em poemas de amor.
Vem...
Me empresta um sorriso?
Eu te ofereço uma flor!

Sonia Son Dos Poemas

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Além Dos Meus Horizontes




Além Dos Meus Horizontes 

Há sempre pernas e pontes aparentes
Uma linha sem sequências em sóis crescentes
Um amor sem experiências coniventes
Á míngua... Línguas bocas e fontes...

Fontes proibidas de receber presentes
Fez-se um amor e sem cerimônias
Mil saudades sem rompantes
Sem sonhos só versos de insônias...

Um amor em mil facetas
Como uma ferrugem que corrói
Sem doer à alma dói...
Sem querer as lágrimas são ofertas.

Camufladas como facção sem seguidores
Seduzidos em seda de amores com razão
Ser inteiros em ser metade sonhadores
Denominadores comuns de uma atração

Na verdade vago em amor que me veste
Meus cabelos esvoaçam no vento norte e leste
Voo alto em céu pujante deitando na rede
Moro na fonte que jorra água e morro de sede...

Sem pudores vejo teus olhos me despirem
Calo a boca com um beijo caliente
Uso todo meu feitiço de amor inerente
Minha essência... Em seus poros até que transpirem.

Son Dos Poemas