segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Além Dos Meus Horizontes




Além Dos Meus Horizontes 

Há sempre pernas e pontes aparentes
Uma linha sem sequências em sóis crescentes
Um amor sem experiências coniventes
Á míngua... Línguas bocas e fontes...

Fontes proibidas de receber presentes
Fez-se um amor e sem cerimônias
Mil saudades sem rompantes
Sem sonhos só versos de insônias...

Um amor em mil facetas
Como uma ferrugem que corrói
Sem doer à alma dói...
Sem querer as lágrimas são ofertas.

Camufladas como facção sem seguidores
Seduzidos em seda de amores com razão
Ser inteiros em ser metade sonhadores
Denominadores comuns de uma atração

Na verdade vago em amor que me veste
Meus cabelos esvoaçam no vento norte e leste
Voo alto em céu pujante deitando na rede
Moro na fonte que jorra água e morro de sede...

Sem pudores vejo teus olhos me despirem
Calo a boca com um beijo caliente
Uso todo meu feitiço de amor inerente
Minha essência... Em seus poros até que transpirem.

Son Dos Poemas

Postar um comentário