terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Que seja De Luz



Que Seja De Luz face


Que espante os choros
Que nos orvalhe um ano mágico de ouro
Que encontremos doze tesouros
Os dourados meses vindouros...

Que se acendam as trevas
Que não se apague a luz
Que seja bem leve nossa via cruz
Que sejam abençoados pelas águas das chuvas...

Que sejam enxurradas de muitos deleites
Que sejam enfeitadas com muitos enfeites
Que não sejam bravas sejam mansas marés
Que me abrace com as pernas braços e pés...

Que drague todas as fuligens hostis
Que a fumaça sejam nuvens de bobeiras
Que possamos sorrir e lembrar brincadeiras
Que seja uma dança ao som dos quadris

Que o balançar seja só das ancas e pernas
Que o sacudir seja da garrafa nosso elixir
Que o prazer de viver seja o dom de sorrir
Que entoemos esse “algo mais” ao som de mantras

Que o ano nos traga fortaleza e abastança
Que nos deixe aparvalhado em ser bobo feliz
Que sejamos palhaços com nosso próprio nariz
Que se sofrer for acaso que seja só de lembrança

Que se inevitável for seja por amor e muitas bonanças
Que não seja por carência nem displicência
Que se for por ciência... Seja de aroma a essência
Que seja uma festa com valsas e danças

Que seja esse ano sem espinhos...
Que seja de flores e esperanças!

Son Dos Poemas



Lenda De Um Beijo


Sem chão para pisar ela flutuava...
Cem amores para amar sem amor se torturava
Um dia uma lenda dois corações uma tenda
Tenda de amor é bom que se entenda...

Havia uma prenda que poetizava os laços
Também um calor que ampliava o frio 
Um amor febril que delirava em cio
Vestia desejos pão e queijo e abraços.

Sem tempo sem compasso grande era a fé...
Não existiam limites para tantos desejos e rapapés 
Em terra firme cultivava flores em pés
Deitavam em cores diversas pétalas beijos e cafés

Exalavam mil fragrâncias em inteligências...
Perfumavam veredas e estâncias 
Eram mágicas essências e experiências 
Sem barreiras nem distâncias eram diligências...

Ao Longe uma nuvem de paixão era negligente
Entenda... Na tenda vivia um sultão muito inteligente
Mágico era só fumaça em plumas de algodão
Sua poesia era pó de pura paixão de verão... 

Então...As flores de café eram branquinhas...
As de beijos?...Pétalas amarelinhas
Mas havia as vermelhas outras rosinhas
Entre cores belas estavam as minhas...

Douradas!...Enamoradas pela lenda
Entenda... Eu era a prenda...
Uma paixão em oferenda
A lenda?
Era eu!


Son Dos Poemas