sexta-feira, 14 de março de 2014



A dança dos Corações 

Uma dança no espaço e tempo 
Na brecha do soprar do vento...
Onde tudo acontecia...
Um balé... Uma ópera...
Rimas de corpos anjos e poesia... 

Ópera que nossos sonhos faz rimar e sonhar
Com espírito aventureiro poetizar... 
Abrace minha alma e vamos dançar... 
Abrace com as pernas até alcançar 
Não deixe ir embora com fins que sacrificam

Faz frio lá fora e os meios nem sempre justificam 
Bonitos são os sentimentos que nos purificam
Dancemos o balé do amor que nos glorificam
Ouça a sinfônica celestial... Deixa abraçar tua alma, 
Respirar tua essência poética imortal...

Aproxime seu peito ao meu e sinta o amor bater
O coração toca a melodia entoa notas de bem querer
Lindo é poder perceber o sentimento...
Sorrir como bobos...
Suspirar beijando o vento...

Entre flechas do cupido silêncio e gemidos 
Ganhamos o céu um paraíso
E como brinde só risos...
Encontramos a cura em amor somente...
Somos raiz de poemas planta e semente.
A estrela que nos guia é o som da poesia que nos sustenta...
Somos o pão da fome do outro que o céu da boca alimenta..
Somos sonho de amor em corpo e alma amantes
Vontades nossas se acendem em desejos lampejantes
Fome de amor que alimenta o coração...

Nossas bocas dessedentam, 
Muitos beijos e louca paixão... 
Nossas almas nos céus, por tão breve estiveram...
Perdidas em gemidos e sussurros se alinharam
Num espetaculoso balé...

Com coreografia dos anjos na ponta do pé... 
Iluminaram-se ao beijar a boca e assim se tocaram...
Plantaram no ser do outro, semente em pensamento... 
Centelhas de estrelas mais bonitas 
Em nosso inspirar livremente...

Inspirando eternas poesias...
Em manhã de sol o nosso presente
Entre risos e crescente euforia
Embriagados de licores magia...
Enfeitiçados em mar de agonia

Cabendo á cada um a poção...
Poesia com teor de paixão....
Com toques nossas almas dançaram em total embriaguez
As mãos feito plumas passearam 
Tocando a pele com placidez...


A brisa de longe soprou... E amor tão puro se fez
Existiu sim algo diferente...
A terra abraçou uma estrela cadente... 
Um deserto de frio que degelou a alma carente 
Um toque, uma viagem, uma chama em dimensão diferente...

Foram anjos que tocaram a melodia pra gente,
Quando a pele já ardia com beijos molhados e quentes...
Ouvi sons de violino...
Tomamos vinho... 

Amor...
Desejos insanos e ocultos compartilhados em leito,
Fazendo do momento eterno
Em amor perfeito
Amor tão sonhado... Debruçado no peito

Cumplicidades em sonhos se abraçam
Amores em silêncio dançam...
Conspiração do destino que faz amar... Ser estar
Em êxtase espetacular...
Tocar o céu, beber seu ar... 

Aflorar em todas as estações cultivando beijos

Deliciar-se com os sonhos...
Tão doces desejos... 
Sentir mil sensações...
Compor uma ode em poesia
Montar um acervo uma galeria 

Son Dos Poemas


quinta-feira, 13 de março de 2014

Abracei Um Poeta

Ao me aproximar senti seu perfume...
Um cheiro de amor de fantasia
Suspirei... Senti gosto de boemia
Abracei seu ser que voava em lume de poesia...

Na boca doce de menestrel trazia sedução
No olhar desregrado de poeta inspiração
Nirvana de Minh’ alma alfa que atinge
Vagueia no cosmos de tua essência poética que finge...

Desvendei os enigmas, deleite literal eu confesso...
Abracei teus mistérios, esfinge e flores de azeviches.
Saboreei teu pecado original em côncavo inverso
Deitei em teus lençóis de águas e fetiches

Mesclei areia d’ouro em pó com cortesia
Cheirando á rosa de cerejeira...
Com sabor de poema e poesia
Abracei-me ao poeta com minha cor brejeira

Senti perfumar minha alma nua e reticente
Olhei no espelho a imagem presente
Ouvi sons em silencioso gemer como um grito
Beijei a fantasia o poema amante mais bonito

Abracei um poeta estava em Alfa e Ômega...
Flutuava no espaço de Perseu e Andrômeda
No céu de sua constelação fiz-me entrega...
Vi que era sonho... Despertei na alvorada...

Son Dos Poemas





Divagando Sempre

Quanto tempo pode durar?
A chama infinita pode queimar...
Quantas serão as bocas á alimentar?
Quantos sempre poderão elas sentenciar?

Fulgurar no infinito entre risos de amor
Sempre ir onde tiver que ir ser lenha e lenhador
Acender a fogueira da sempre eterna paixão
Sempre queimar a língua ardente em combustão

Arder de amor infinitamente e diferente...
Perceber que sempre será desse carente
Receber deste o cortejo como um cavalheiro
Sentir acender ao beijo como luz de candeeiro

Ser vela flutuante para sempre marinheiro
Jurar para o sempre aceso como farol navegador
Aportar em águas mansas à cor dando em multicor...
Adormecendo e acordando sempre sempre sonhador

Sem querer explicar a trama que tricota...
Voar sem explicação como uma linda gaivota
Fazer uma resenha da forma mais explicita
Eternizar a palavra sempre em poesia infinita

Saber que o sempre para sempre será...
Sempre que os lábios pronunciar ou calar
Encontrará a carne e beijará o espírito
Silenciando a voz com grito de amor no infinito...

No limiar do sempre ser fortaleza
A palavra sempre nunca será certeza...  


Sonia Son Dos Poemas

In Memorian De Um Pescador



                       
IN Memorian De Um Pescador

Bom dia para uma nova pescaria
Para fechar os olhos...
Dia nublado e chuvoso... Calmaria...
Perfeito para um apanhador de sonhos


Um pescador de cardume de ilusões 
Um pescador em águas tantas...
Partindo para pescar em águas santas
Contornará o horizonte com suas visões


Leva uma vida tão comum na bagagem
Maré serena... Para levá-lo a canoa...
Movimenta a terra com sua passagem
Segue na luz em meio à garoa...


Pescador... Hoje náufrago de vida
Suplanta a dor que o fez padecer 
Segue sozinho como foi o viver
Encontrará a paz em acolhida


Velado pela rosa cravos e margaridas
Diante dos olhos como uma miragem...
Após desce a vala em prós e contras
Em mar de lágrimas segue a viagem...


Em sua conta nada mais jus
Faz... 
Por sua conta Jesus
Onde o pescador agora jaz!



Son Dos Poemas 

segunda-feira, 10 de março de 2014

Canção Para Wendy

 Canção Para Wendy

Menina da terra encantada...
Idade dos sonhos que alimenta
Brincadeiras arteiras que inventa
Wendy menina amada

Princesinha do nordeste celestial
Das terras das fortalezas reluz seu cristal
Entre fadas e princesas faz seu castelo tão real
Estreando novo sapatinho... Decimal

Joia rara que ostenta hoje dez cristais
Tiara que enfeita sua cabecinha marota
Compondo a idade nova dessa linda garota
Wendy coração generoso, protetora dos animais...

Da terra do nunca para o mundo real de fantasia
Pequena cujo mundo já é sonhar com a poesia
Guria falante vestindo hoje dez lindas estrelas
Véu de inocência que cobre a cabeça em centelhas

Idade bonita em seu véu de constelação
Dezena que sopra para “Dez” anos-luz a sua vida
Que seja sempre menina de bom coração
Passeie no mundo e por todos seja amada e querida!

Da terra do nunca para reinar nessa vida!
Seja sempre poesia... “Wendy”
Princesa!

Son Dos Poemas

Gaia Mulher



Gaia Mulher

Fortaleza que faz amar e ser amada
Adorada como mulher em realeza...
Reverenciada como deusa da natureza
Mulher e mãe a mais adorada

Terra linda e abençoada face da poesia
Princesas eternas sem idades... Nossa real fantasia...
Adornada pelos deuses como flores em jardins
Gaia que amamenta as crianças anjos querubins

Mulher inocência com véu de pecado...
Composição do universo fecundo
Sempre mulher todo dia movimento do mundo
Majestade somos todas princesas em nosso reinado

Nosso berço mulher é de amor imortal
Rainhas ou divas nas telas dos cinemas ou sonho real
Oscilante somos cometas cintilantes como os astros
Acalentamos nossos sonhos entre beijos e abraços

Nosso planeta que acolhe o amor como lar
Artista do maior palco iluminado é a gente
Protagonistas da nossa real opereta vigente
Musas sonhadoras românticas em céu de amar

Nuvem que povoa o paraíso em águas terrestres
Fonte natural que acalanta a sementes nosso solo!
Rainhas e princesas urbanas ou campestres
Castelo que acolhe príncipes e princesas em seu colo.

Mulheres somos!... Atrizes protagonistas
Ao longo da história...Somos santas ou profanas...
Helenas, Cleópatras ou Joanas...
Todas ardemos num drama nossas chamas...

Queimamos a vida inteira somos fogueiras!
Podemos sonhar e lutar sorrir ou chorar...
Nosso universo feminino muito particular
Para amar uma mulher?...Simples, só saber amar!

Somos frágeis ou valentes almas felinas...
Fêmeas... eternas meninas...
Fonte que alimenta a vida,
Nossa sina!

Son Dos Poemas



sexta-feira, 7 de março de 2014

Nascer Mulher Do Bem


 Nascer Mulher Do Bem

É ter em si o que outras não têm...
É ser mulher e ser do bem
Cuidar da própria vida e dos seus
Fazer o bem por ser o bem de Deus

Ser dona da sua vontade e de mais ninguém
Nascer mulher e ser bonita é espalhar o bem
Proteger suas crias como leoa
Achar romântico passear na garoa...

Ser feroz por sua força matriz
Ampliar sua prole e ser de si o juiz...
Abrigar cuidar e cuidar
Como uma flor com amor cultivar

Abrigar em seu âmbito familiar
Em seu seio de mulher alimentar
Se comover com o ser indefeso
Perceber que é amor presente não peso

Ser mulher do bem?...É no bem estagiar
Trilhar os caminhos com benevolência
Acarinhar os filhotes e ter paciência
Desmedir-se somente em amar

Extasiar de amor e assim ferver...
Equalizar som com ambiente em fantasia
Explodir?...Só de felicidade em mar de poesia
Contagiar a todos com bem querer...

Assim deve ser...
Mulher que nasce pro bem...

Son Dos Poemas





Cabeça Na Lua


Cabeça Na Lua

Ando muito displicente, mas...

Tudo bem, sou gente!
E gente é assim...
Tenho os pés na lua e a cabeça além...
As ideias malucas que hora vem e outra também
Sou tua, sem ser de ninguém
Assim sendo sou minha refém
Por ser do meu amor...
Que é seu também
Nessa fusão que envolve meu ser
Serei sempre sua é bom saber
Esse é um conflito intenso
Uma bobeira de escrever sempre o que penso...


Son Dos Poemas