sexta-feira, 14 de março de 2014



A dança dos Corações 

Uma dança no espaço e tempo 
Na brecha do soprar do vento...
Onde tudo acontecia...
Um balé... Uma ópera...
Rimas de corpos anjos e poesia... 

Ópera que nossos sonhos faz rimar e sonhar
Com espírito aventureiro poetizar... 
Abrace minha alma e vamos dançar... 
Abrace com as pernas até alcançar 
Não deixe ir embora com fins que sacrificam

Faz frio lá fora e os meios nem sempre justificam 
Bonitos são os sentimentos que nos purificam
Dancemos o balé do amor que nos glorificam
Ouça a sinfônica celestial... Deixa abraçar tua alma, 
Respirar tua essência poética imortal...

Aproxime seu peito ao meu e sinta o amor bater
O coração toca a melodia entoa notas de bem querer
Lindo é poder perceber o sentimento...
Sorrir como bobos...
Suspirar beijando o vento...

Entre flechas do cupido silêncio e gemidos 
Ganhamos o céu um paraíso
E como brinde só risos...
Encontramos a cura em amor somente...
Somos raiz de poemas planta e semente.
A estrela que nos guia é o som da poesia que nos sustenta...
Somos o pão da fome do outro que o céu da boca alimenta..
Somos sonho de amor em corpo e alma amantes
Vontades nossas se acendem em desejos lampejantes
Fome de amor que alimenta o coração...

Nossas bocas dessedentam, 
Muitos beijos e louca paixão... 
Nossas almas nos céus, por tão breve estiveram...
Perdidas em gemidos e sussurros se alinharam
Num espetaculoso balé...

Com coreografia dos anjos na ponta do pé... 
Iluminaram-se ao beijar a boca e assim se tocaram...
Plantaram no ser do outro, semente em pensamento... 
Centelhas de estrelas mais bonitas 
Em nosso inspirar livremente...

Inspirando eternas poesias...
Em manhã de sol o nosso presente
Entre risos e crescente euforia
Embriagados de licores magia...
Enfeitiçados em mar de agonia

Cabendo á cada um a poção...
Poesia com teor de paixão....
Com toques nossas almas dançaram em total embriaguez
As mãos feito plumas passearam 
Tocando a pele com placidez...


A brisa de longe soprou... E amor tão puro se fez
Existiu sim algo diferente...
A terra abraçou uma estrela cadente... 
Um deserto de frio que degelou a alma carente 
Um toque, uma viagem, uma chama em dimensão diferente...

Foram anjos que tocaram a melodia pra gente,
Quando a pele já ardia com beijos molhados e quentes...
Ouvi sons de violino...
Tomamos vinho... 

Amor...
Desejos insanos e ocultos compartilhados em leito,
Fazendo do momento eterno
Em amor perfeito
Amor tão sonhado... Debruçado no peito

Cumplicidades em sonhos se abraçam
Amores em silêncio dançam...
Conspiração do destino que faz amar... Ser estar
Em êxtase espetacular...
Tocar o céu, beber seu ar... 

Aflorar em todas as estações cultivando beijos

Deliciar-se com os sonhos...
Tão doces desejos... 
Sentir mil sensações...
Compor uma ode em poesia
Montar um acervo uma galeria 

Son Dos Poemas


Postar um comentário