quinta-feira, 7 de agosto de 2014



Mansidão Da Alma
Calma alma que me domina
Branda ‘outro lado que me alucina
Menina que se perdeu num passatempo
Mulher que se mostrou nua ao senhor do tempo

Mansidão d’alma que flutua no vento
Buscando alento para suas tempestades
Bravura que a faz ver o ar em movimento
Assidrando com sabor de saudades

Como cidra em doces dúvidas de acidez
Hipnótica a mente valsa em minha nudez
Meu som embriagante meu costume é placidez 
Bocas oscilantes vertentes de amor em pele fez...

Mansidão que ferve a alma...
Quando o corpo pede calor
Apodera-se então perde a calma
Puro amor faz amor por amor!

Assim perde a calma e faz a alma arder
Amar com fúria e vigor esvanecer e ferver
Evaporar como gotas de vapor sobre as pedras
Escorrer como águas de cachoeiras ás quedas

Mansidão da alma que me quebra o juízo
Vastidão desse amor que é meu palco preciso...

Son Dos Poemas
Postar um comentário