domingo, 21 de setembro de 2014



Folclore

Conta-se a lenda 
Que havia uma sereia...entenda...
É apenas um conto de folclore
Desses que espanta e a vida colore...

Deixa a face alegre e mais divertida
Conta as histórias mais assombrosas 
Aquelas bem ao pé do ouvido...gostosas...
Sussurros e arrepios que espantam as rosas

Um tratado de lendas e peculiaridades
Costumes que habitam os vales e lugares 
Das matas dos sacis e curupiras
Habitantes das florestas encantadas

Num universo de mistérios dos lugarejos
Dos contos de cordéis em bocas de beijos
Lendas de cordões que esticam os versejos
Em fronhas de algodão bordadas de desejos...

Lua cheia de lumes de vaga-lumes...
Fadas e gnomos e almas penadas
Seres que viraram lendas em estória contadas
Fábulas inventadas tradições adaptadas

Danças de ilusões até boto da cor de rosa
Cantigas que cirandam em roda de prosa
Homem que vira homem depois de virar lobisomem
Sereias que encantam navios e nos mares somem

Um mundo de lendas encantadoras das marés
Cânticos de acalantos nos suspiros de Gaia e xamãs
Mãe que abraça as lendas contidas em noites e manhãs
Berço de nosso passado sonhos sedutores...

Nossos percursores em sonhos de doravante
Lendas de tesouros e Iaras das águas dos diamantes
Guardados no infinito do ventre
Lendas folclóricas contos do sempre e sempre...

Son Dos Poemas
Postar um comentário