sexta-feira, 5 de setembro de 2014


Lençóis De Biologia 

Nos lençóis de ciências
Do homem que em tudo pensa
Do universo que tudo inicia
Biologia do ar que condensa
O mistério cuja face é insinuante
A cria e a criatura enigmática e fascinante
Há vida que ávida respira poesia...
Nos nós de uma vida inteira 
Em cada gota de orvalho das cerejeiras 
Nos respingos coloridos das amoreiras
Na lentidão do caracol caminhar
Na flor sedosa que o vento insiste beijar
Em todas as frutíferas 
Que a brisa acaricia
Nos sabores doce da acidez
No ápice da vida vivida com avidez 
Canta o passarinho que anuncia 
Tudo é vida em clima de fusão 
A poesia se fundi a biologia...
Ha um big bang de magia em explosão


Son Dos Poemas
Postar um comentário