domingo, 21 de setembro de 2014




Sem Rumo

Perturba-me saber-te amar e ser assim
Loucamente com sede na fonte sem nunca ter fim
Martírio ou suplicio?...Eufonia...
Conspirar das estrelas nossa poesia!

Agonia é saber que se deseja tanto
Roubar-te o beijo e lançar-te o encanto
Aquecer-me em seu manto de amor tântrico
Resvalar-me em você e beber-te romântico

Esquecer em seu peito meu coração
Ver-te em todas as estrelas da constelação
Ir á marte despudoradamente no céu ir e vir...
Ouvir seu cântico de amor e ver o silêncio sorrir...

Ficar perdida em sua estação sem rumo
Sem saber a onde ir perder a direção e prumo
Sentir lentamente o amor tomar conta d’meu ser
Envolver-me em fibras de linho eterno bem querer...

Beber todo o ar do planeta ao estar contigo
Deixar nascer todas as orquídeas do mundo consigo...
Beijar-te a face incendiar-te a boca com a língua em fogo
Abraçar tuas garras soltar as amarras e virar este jogo...

Passear com você na lua cheia de encantamento
Colher poesia na boca tua e nua me mostrar para o vento...
Ouvir teus urros e gemidos como um lobo 
Escrever um epílogo com teu sorriso mais bobo 

Correr pro teus braços com beijo quente de vapor
Abrigar minha loucura na tua insanidade... Amor...

SOn Dos Poemas
Postar um comentário