sexta-feira, 3 de outubro de 2014



A Lenda Do Vento

Toda vez que ele soprava era um evento...
Despertava o outono que dormia sono lento
Toda vez que o gato miava respondia sonolento
O gato com sede mia eu diria cem por cento...

Era assim que acontecia esse acontecimento
O vento era um poema com saber sedento
Amor como lenda espalhava “ele” o vento ciumento
Apaixonou-se pelo moinho como forma de alento

Pelo caminho sua semente brotava rebento
Mas o vento se sentia sozinho gemia ao relento...
Intuía seu destino como um mago portento
Necessitava d’uma poção mágica pó d’unguento

Pode também perguntava... Ter pé de vento?
Porém tudo que precisava a brisa trazia nevoento
Gotas de magia que continha o tal pode unguento?
Contava aos carneirinhos todo seu sentimento...

Assim divulgava a lenda real era agonia...
Com parcimônia a insônia se perguntaria
Indagava se o vento... Cantarolava ou gemia?
Era de dor frio ou saudade que estremecia?

Tremia a voz dos ventos uivantes que respondia
Sussurros vêm dos morros dos diamantes que ao sol reluzia
Entenda e aprenda divulgue essa lenda de fantasia...
Ao sabor do vento e das fantasias tudo vira poesia..

Son Dos Poemas
Postar um comentário