quarta-feira, 29 de outubro de 2014




Ilusão De Óptica

Ilusão poética que me domina o visual...
Ser sonhadora acreditar em poema imortal
Eu quando poesia sou chuva que dança...
Quando chuva sou verso em consonância

Acredito que o acaso é traço d’outra existência
Em suma com a natureza sou plena consciência
Sou como as flores que exalam aroma com refulgência
Tenho um lume de poesia em minha essência

Sinto o perfume no lume das cores do mundo
Juro com o coração e a mão no ventre fecundo
Acendo as chamas com o fogo da minha doce ilusão
Imagino me perco na agonia num amor de imensidão...

Queimo de paixão insana na brasa desse desejo
Desejar quem sempre me ama e deseja meu beijo
Arde minha pele e boca sedenta até sente a tua
Com sabor de fruta madura descascada crua e nua...

Ao sabor de fantasia sob minha ótica poesia...
Ser exótica ao navegar nas rimas desse mar de fantasia
Margear teus sonhos teus devaneios em plumas
Vagar pelos ares do infinito como bolhas d’ espumas...

Ilusão de óptica a minha que olha o todo bonito...
Ouve seus sons em intenso silêncio q’ ecoa num grito
...Leia-me poema falante e cala tua poesia com beijos...
...Leia-me poema falante e mata d’uma vez meus desejos...

Son Dos Poemas
Postar um comentário