quinta-feira, 9 de outubro de 2014


Sonho Estrelado

Havia nas montanhas um sol de magia
Um menino poeta que escrevia poesia
Todos os versos que ele lia comia
Uma bela manhã ao romper do dia...

Percebeu que havia sonhado com a felicidade
Em seus olhos um brilho de saudade espelhava
Desejou de coração a mulher que tanto amava
E num manto de paixão e sonho a encontrava

Era um sonho estrelado onde tudo acontecia
Foi então que desenhou com suas mãos poesia...
Escreveu n’alma sua um verso que dizia... Minha...
Felicidade Lua amada que me perturba e desalinha...

Tudo era tão misterioso que o desejo fazia chover
E a Lua suspirava só pra clarear e fazer amanhecer
As estrelas no céu bailavam em movimento de alento
E o pensamento do poeta espalhava flocos de vento

Procurava estrelinhas nas linhas crepusculares
Assim se achava grafado nas entrelinhas unicelulares
Pairava num silêncio bom em plenos ares
Viajava num tango em sonhos pra Buenos Aires...

Seguia guiado pelo signo de Salomão em pentagrama
Trançando os fios do universo desfazia a trama
Amaria em todas as cinco pontas da estrela
Sua poesia sacerdotisa e poderia tocá-la e vê-la...

SOn Dos Poemas
Postar um comentário