quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Chuva De Carinho



Chuva De Carinho

Então pergunto...
Por que mereço tanto?
Não sou pop star nem santo(a)
Olho a minha linha do tempo...conto...

Ao vento pergunto interrogo ao contento...
Arqueando minhas sobrancelhas medito
Milhões de fagulhas centenas d' estrelas
Recolho as porções de centelhas ás dezenas

Tão boas energias emanadas puras e plenas
Tantas almas livres amadas...
Compartilhar amor ás centenas
Cronologicamente o encontro de nossas linhas

Meus amigos carinhosos tantas carinhas caras
Face á face fazem tanto sentido...
Tornam a página perfeita e o natal mais bonito
Com arte e tantas amizades raras

Tenho-os na conta do coração amigos cintilantes
Entre as joias mais caras todos lindos e valiosos pingentes
Tantas saudades de conhecê-los...
Sê-los e sabê-los...

Por isso fiz este poema 
Sem rosas sem flores sem minha açucena
Somente eu apenas...
E vocês meus lindos poemas...

Son Dos Poemas


Feliz Natal Queridos
Postar um comentário