segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

O Tecelão De Sonhos



O Tecelão De Sonhos


Era assim que acontecia tudo por intuição...
O tecelão escrevia poema na linha da imaginação
E sempre que amanhecia “ele” o tecelão acendia o sol
Inspirava e tecia poesia reluzia á luz do arrebol...

Desenhava um farol luminoso um velho e um cajado...
Decifrava um livro mágico a chave era o machado
Cortaria os pontos nos quatro cantos entre mundos
Escreveria um conto e outros tantos oriundos


A inspiração vinha dos rouxinóis cantantes...
Nas entrelinhas estrelinhas eram olhos faiscantes
Contavam lágrimas de chuva que brotava e escorria...
Beijava a lua na boca e do solo amor eclodia


Assim de noite ou de dia girava o sol e chovia...
O tecelão secava de sede escrevia na rede de fantasia
Dizia amar poesia amor perfeito seria qual lua e flor
Moraria eterno no peito sempre viveria o maior amor...


O sonho era tecido fino com fios em nuvens de algodão
Toda vez que ele chorava cobria de orvalho o ribeirão...
Á cada sorriso que expressava mudava o clima...
O silêncio calava a voz e o amor gritava rima


Catalogava os momentos com brilho enternecedor 
Acariciava o som ofegante elegante mesmo era o puro amor...
Um lume de poesia escrevia com sentimento
Abria as asas de poesia e voava livre com vento...



Son Dos Poemas


SÓ Poesiehttp://sopoesie.blogspot.com.br/ —




Postar um comentário