quarta-feira, 17 de junho de 2015

Pétalas De Incoerência








Pétalas De Incoerência 

Pensa em tudo que se faz verdade...
Felicidade num buquê de futilidade
Acumular "coisas"p'ra levar p'ra onde?

Como diz o poeta no começo tem sua beleza
Depois trambolhos tropeços em certeza
Servem só pra constituir o solo ao cair

A vaidade faz possuir sem nem usufruir...
Sem nada reciclar sopra ao planeta entupir
Num insano ir e vir de artefatos...

Uma loucura em colecionar aparatos
Brincos, carros, revistas, jatos e objetos
Coisas de bicho homem mundano abstrato

Desvia o pensamento do sonho bom
Fixa-se no pesadelo sem luz e sem som
Bom seria clarear as ideias com tom sobre tom...

Poder e beleza corresponde?
Responde dura quanto tempo no mundo do sempre?
Fecunda quantas vidas no seio ou no ventre?

Tantas são as pétalas da incoerência
Quanto mais se sabe mais se tem ignorância
A indecência que já foi um beijo de cinema...

A fotografia de uma poesia despida...
Esse é o resumo dessas pétala escriturada
Coisas e mais coisas trocadas pela vida por troco de nada!

Son Dos Poemas 


Postar um comentário