quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Ao Mar




Ao Mar

Amor é sempre instante atemporal...
Flui abobado indelevelmente
A forma de (a)mar é onda espiral
É flúor refrescante que a língua sente


Mil sabores e sensações...
Rompe os grilhões de tu'alma liberta
Aproxima em olores e tentações
Geme d'prazer ao dizer poeta...

O excesso de majestade te aflora
O dia amante é teu presente...
Os momentos bonitos o vento devora
E o tempo vai embora lentamente...

Silente os lábios calam o vocabulário
Desfere um açoite de palavras interior
Traduz tanto silêncio com imaginário
Enlouquece por dentro e grita AMOR...

Felizmente a rotina amotina..
Os sentimentos têm a fúria d'um Titã
Debelador amor pode ser cura ou morfina
Vicia teu corpo e mente assina amanhã...

E tudo recomeça convenientemente
Sinal d'cotidiano em harmonia...
O amanhecer germina nova semente
E a agonia que sente vira folha poesia...

Son Dos Poemas 

Postar um comentário