quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Anjo Da Guarda



ANJO DA  GUARDA

Dá ‘guarda que nos é concedida
Meu Anjo do olhar âmbar
Tuas asas me vestem guarida 
Abrigo incondicional d’amar

Guardião d’minha carne em fulgor
Anjo meu do olhar d’romã
Guardador do meu ser interior
Por terno amor torno eu guardiã...

Tua proposta meu voo em proteção
Mensageiro do bem em primazia 
Minha resposta formatada oração
Toda devoção a ti em poesia...

Ecos d’trovão escrevem notas d’mim
Ao carpir as tristezas cinge-me acalma...
Mil pensamentos dizem “carpe diem” 
Esculpe meu dia e abraça minh’alma...

Mil luzeiros acendem-te Anjo meu guia
Abre meus caminhos com pétalas decora
Remove os espinhos e transforma em poesia...
Devora meus pecados e perdoa-me agora...

Son Dos poemas 



Postar um comentário