quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Contemplar-te

Contemplar-te

Com insistência meu olhar te veleja
Na proeminência do ato e do fato
Com licença poética a poesia te beija
Com a língua sedenta deseja contato

Como fio condutor d’amor eletrizante
Fico extasiada por tua figura alinhada
Poema charmoso sedutor elegante 
Escrevente d’alma erótica e requintada...

Contemplar-te muda sentença visual
Rabiscar-te alia consciência e consequência
Declamar-te com teor d’amor atemporal
Amar-te d’alma corpórea pura leniência

Por conformidade e cortesia lunar
Com a fúria d’um vulcão em erupção
Com o coração na boca sempre amar
Um poema além da fonte da intuição...

Guardar-te como animal em madriguera
Esconder-te como um coelho na cartola
Cantar-te poesia qual uma ave cardinheira
Tocar-te como linda melodia ‘estribilho d’viola

Repetir-te como ondas d’amplificador 
Absorver-te em cantos d’amor matinais
Contemplar-te meu hibisco e beija-flor 
Meu cancioneiro d’poéticos madrigais...

Son Dos Poemas
Postar um comentário