quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Ese Amor




Esse Amor 

Ah esse amor infinito no peito...
Queima chama rebelde age sem jeito,
Agita pinica em fios d’ urdidura,
Judia chuleia com arte é infinda loucura...

Ah esse amor sem agulha ponteia,
Extraí meu melhor n’alma minha encadeia
Acorrenta me prende libertada incendeia
Abrasa-me, me abraça delineia...

Incinera venera faz-me encandecida,
Dança sobre mim em sono d’amor tecida...
Faz de meu ser teares a sua maneira cerzida,

Cantar-te ser tão insólita poesia inesperada;
Desnudar-me e sentir-te amar ao ser amada,
Arder ás labaredas n’língua em fogo d’tua ávida.

Sonia Gonçalves.
Postar um comentário