quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Tira Teima

Tira Teima

Arde no meu interior poema...
Será amor ou pena?
Apoesia-me por dentro queima
Chama tão densa que me condena...

Entoa sinfônica expansiva e me escreve
Uma teima expressiva em som d’acalanto
Um conforto excessivo e semibreve
Então breve amor que me causa espanto...

Tomar um poema com as mãos abraçadas
Cruzadas n’m cântico d’ epopeia que inventa
A maior ousadia em dilatação das palavras
Amar e temperar com chocolate e pimenta

Fragmentar com atrevimento nota picante
Soltar as amarras e amarra-se ao ousar
Rotular o vento como senhor outorgante
E no ventre d’Andrômeda d’amor se estrelar

Se espelhar na luz do cavaleiro...
No rastro da cruz e timbre da espada
Vestir-me d’orquestra ‘alma e o corpo inteiro
E ouvir uma sonata no topo d’uma escada...

Rompe todos os conceitos e regimenta
Argumenta no escrito e tira a teima...
Se senta não é sessenta acredita e tenta...
E falarei nove vezes a língua do poema!

Son Dos Poemas
Postar um comentário