sexta-feira, 13 de novembro de 2015

ACADEMIA D'MIM



Academia D’mim

Fabula em mim tanta métrica sintética... 
Da voz da garganta das cordas do goto
Questiona coletiva nas sumas da poética
Traduz e diz tá lento expresso gosto

Conta em versos nus e simplificados...
Sem metáforas ou seiva elaborada
Dita ciência d’amores ultrapassados
Á tua vontade d’boca louca varrida

Diz que sou tua querida decorada... 
Que estivemos num sonho ateu
Tão surreal foi tua poesia declamada...
O ósculo pedante cujo destino lambeu...

D’um jeito petulante abrasador... 
No vigor do beijo mágico medicinal 
Na louca academia d’mim és tenor
Na galeria sonho e melodia és real...

Conte ao vento sobre tua coletânea
Tua coleção de selos insetos e fotografias...
Diz a reticência d’tua alma mundana errônea 
Além bem além das nomenclaturas...

Diga que sou teu trevo da sorte
Por mim escreves sem rumo sem fim
No marfim d’teu olhar estrelado ao norte
Diz sou tua academia poesia d’mim...

Son Dos Poemas
Postar um comentário