sexta-feira, 13 de novembro de 2015

CONFIANÇA





Confiança

Com fiança tudo se torna perfeito
Lábios balbuciam nomes sem mencionar
Amor do meu do teu de todo jeito
Entreabertos são os portões (a) mar


Confiança não se compra nem furta
Cobre o coração como uma bruma 
Colhe-se por cultivar como fosse fruta
Estoura pende ir pelo ar como bolha d'espuma

Aprendi que cresce como chama de lampião
Fica pendurada como estalactite numa gruta
Frágil como cristal pode cair e ir ao chão...
Espatifar feito um espelho d'forma abrupta...

Com fiança é a caução que se dá
Faz teus sentidos sedados até onde sei lá
Obter o aval do vento e achar-se acolhida.
Lamber na boca beijos melados aqui... Acolá...

Quem fiança dar-te rubrica em amor
A fronha que te cobre os ouvidos e aconchega
A garantia que te faz precioso penhor
É o amor suave que em teu peito abriga...

A confiança é um manto d'entrega em contextura 
Um colar de madrepérola em esperança
O céu diamantado lavra 'alma e te escritura
E uma rede d’ternura te assegura em confiança...

Son Dos Poemas

Postar um comentário