sexta-feira, 13 de novembro de 2015

GLOSA



Sei que pareço um ladrão…
Mas há muitos que eu conheço
Que, sem parecer o que são,
São aquilo que eu pareço.
Antonio Aleixo

GLOSA
Nesse mundo nada se cria, 
Tudo se copia arte é ilusão;
Quando crio diamante d’utopia,
Sei que pareço um ladrão!

Meu furto é surto d’ impressão
E com poesia apago o que pareço,
Sem plágio não roubo inspiração!
Mas há muitos que eu conheço...

Dissimulados e camuflados... 
A esses, não dou perdão!
Roubadores são aparvoados 
Que, sem parecer o que são...

Não valem quanto pesa vintém
Pessoas desse tipo desmereço!
Inversos de mim mentem bem
São aquilo que eu pareço!...


Parabéns com Louvor acadêmica Sônia Gonçalves !

Patrono : Carlos Drummond de Andrade.
Acadêmica: Sônia Gonçalves 
Cadeira: 14
Postar um comentário