sábado, 19 de dezembro de 2015

Canta Vento



Canta Vento

Canta vento sem contar o tempo...
Canta tempo sem catar o vento
Diz que sem o tempo há vida não há...
Que vem o vento e voa sabiá...


Sabe-se lá onde ao tempo estará...
Ter-se-á vento em que há matéria o fará?
Tecerá o tempo em quantas unidades...
Soprará o vento quantos lençóis de saudades?

E há vontade do tempo em conosco brincar...
Somar um mais um e somente uno somar
Saber que sem o tempo unidade nada contará
Vida inteligente na Terra nem sonho haverá...

Ouvirá o canto do vento gemer baixinho murmurar...
Tocar violino sem tempo em qualquer tempo ou lugar...
Toma-me tempo em seus braços de vento
Faz-me ninar com sua canção de passar lento...

Conta quantos quilômetros de vento o tempo tem...
Encanta-me com seu canto e te conto meu tempo também... 
Revelo-te meu elo quantos quilômetros o belo é além...
Assovia a melodia mais bonita canta que te acalanto bem...

Sussurra tua voz em tempo poema ao meu ouvido...
Diz que o tempo é um holograma do sempre indefinido
Uma mensagem em holografia de olhar estrábica...
Uma linda fotografia em inspirar esporádica...

Passa tempo que até o poeta por aqui passou...
Criou asas de vento passarinhou e voou...

Son Dos Poemas
SÓ Poesie
Postar um comentário