quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Cobrança



Cobrança

Diga cobras e lagartos
Ratos urinam pelos porões
A falta de entendimentos
São sentimentos nus em leilões


Os ladrões sempre arrombam a festa
Entram sem convites são penetras
A escrita é a língua diz a verdade poeta
A ingratidão via d'contramão sem regras

O perdão pétalas soltas ao vento
Sem cabimento é fazer julgar
Leiloar o melhor sentimento
Jogar num jogo d'cartas d'bar

Cobrar e cobrar sem repartir
Sem dosar a balança é injusta
Se falar corre o risco de ferir
Se calar vestir a saia mais justa

Cobrança é lança trançada
Aparição que causa espanto
Á mostra cabeça duplicada
Indignada fico nesse desencanto...

Traga o veneno aos cântaros
A poesia é para desintoxicar
Dragar águas d'olhos e prantos
Deixar tudo ir salgar o mar...

Os pântanos diga-se interior...
São mágoas que cultivamos
Água pura é p'ra beber AMOR
O Natal é todo dia digamos...

Son Dos Poemas

Postar um comentário