terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Correria



Correria

Abordo d’mim hábito é calmaria...
Acalmar-te-ia em meu porto
Se o tempo mudasse eu correria
Moldaria o mundo ao meu gosto


Correria se o tempo sustasse
Se pudesse eu dar-te um espanto
Quem sabe tivesse asa eu voltasse...
Assustaria o tempo n’outro canto

Em mimnh’ pontaria alvo é o vento
Um ponteiro quebrado que faz girar
Contratempo é prosseguir inquieto
Atitude é ser puro talento e andar...

O tempo é errôneo enlace matrimonial 
Fenômeno este que faz pairar na altitude
É pensamento parcimônia e passional
Pode ser fuga poética ou simples virtude

Se do tempo à correria é correnteza...
As certezas são sós as poesias dos suspiros
Verdade é dá madeira papel á natureza
Das sobras respostas reportadas em papiros

Se o tempo tá lento é lerdo e coloquial
Se precipitação é estar nas presas da sorte
Bom é arrebentar como aurora boreal
Nascer deusa do alvorecer e amanhecer ao norte.

Son Dos Poemas

Postar um comentário