quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

D’Exposição





D’Exposição


Se em exposição tudo faz exposto
A emoção te rouba o raciocínio
Seja á favor o gosto ou contragosto
Ás vezes a razão foge do domínio

Expõe os sentimentos escandalosos
Diz que tudo é culpa do tal tino
Dos poemas longos quais rios caudalosos
Quem assina a sina é o próprio destino

A situação é presente d’esquecimento
A liturgia só ritual de escritura
Já o amor é livre pagamento
Surpresa é dar gorjeta e sentir a textura

Ver borboleta dançar majestosa
Florir violetas no ventre do aconchego
Escrever poesia na espinha da rosa
Contar ósseas medulas em assossego...

O verbo não acompanha o sujeito
Fica levemente sem disposição
A exposição fica mesmo é com gosto
D’agosto meio na contra mão

Por imposição faz-se á resistência
Expor amor cativa o coração d'alma
Assim amar é dá livre existência
Cometer essa incidência te acalma...

Son Dos Poemas

Postar um comentário