terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Jrdim D'Sonhos



Jardim D'Sonhos

E todos foram vistos poetas...
Sonhar fez-se moda á fantasia vestia
Era um delírio coletivo nas letras
Amor e poesia não era lenda existia...


Sangravam versos e vociferavam borboletas
Inalavam os sonetos mais delirantes
Cheiravam aromas exalados das bromélias
Bebiam fragmentos dos cérebros pensantes

Desenhavam pirilampos brumados ao relento
Aqueciam os silêncios frios inversos quentes
Ouvia o canto gemido na poesia d' vento
Acolhiam ás miríades estelares veementes

Rasgavam as normas rígidas aos brados
Tintavam com nanquim os versos da caligrafia
Suspiravam vaga-lumes e libélulas aluados...
Mistérios e segredos cochichados na coxia...

Perfumavam com capim limão os sóis poentes
Os sussurros vinham das estrelas cadentes
O sol era iluminado para os Anjos escreventes...
Um a um compunha as bocas incandescentes

E todos foram vistos poéticos e loucos
Soprando os ecos das flores despidos e rotos...
Vestiam-se livres astutos atores ou pícaros
Dançavam suspensos nus nos pilares líricos...

E todos foram vistos poetas Anjos insanos...
Á luz faz fantasia eram somente homens
Sedentos d’ asas bem humanos...

Son Dos Poemas
Postar um comentário