quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O Décimo Segundo Anjo



O Décimo SEGUNDO Anjo

Em JANEIRO surgiu radiante...
Extraordinário com tom surreal
Anjo mensageiro d’aura diamante
Registro primeiro som boreal...


Veio FEVEREIRO n’outro momento
Amor em qualquer instância
Mais extenso que o PENSAMENTO
Vi muitos Anjos alongar distância...

No terceiro marco MARÇO invadiu
Deflorou ‘ outono pólen e tema
A boca descontraída me sorriu
Escreveu em meu ventre POEMA...

No quarto arejado á janela d’ABRIL
Abri um sorriso fui lua vermelha festim
No meu Universo particular e PUERIL
Sonhei-te perfeito foi metade d’mim

MAIO foi labirinto vi o quinto ANJO...
Falava tantas línguas até mandarim...
Ai de mim que d’ANJO nem arranjo
O toque foi harpa, mas ouvi BANDOLIM...

Já na metade o sexto JUNHO pulsante...
Meu som destoou e você foi pivô...
Á temperatura elevou-se curiosamente
Abastou tua presença e Sô SOSSEGÔ..

No sétimo falei JULHO poeta eu...
O mel escorria da boca d’m SERAFIM
A bruma cobria o branco poema meu
E o frio era neve em asas D’QUERUBIM...

Segundo a lua púrpura o oitavo ANJO
Era a gosto destinoso ao sabor da maré
AGOSTO tocou som instrumental d’banjo..
Esbanjei meus devaneios da cabeça ao PÉ...

Após NOVE meses nasceu a lua vermelha
Á terceira lua de sangue transcendental 
Chamou PRIMAVERA SETEMBRO centelha
Ainda lembro floresceu meu mês especial...

Dez vezes foram tempos bicudos...
OUTUBRO vestiu traje á rigor cor d’rosa
Ar d’eu rubro verbo e toques d'veludos
Semeei vento colhi tempestades d’prosa...

ONZE vezes somei me elevei ao cubo...
Cataloguei NOVEMBRO vi ANJOS na ribalta
Aparte sempre renovei capilares e bulbo
Hoje jacinto lírios meu cultivo em PAUTA

Finalmente em DOZE partículas o fulgor...
Entre notas e orquestras DEZEMBRO soa
Meu décimo segundo ANJO em mi amor
Em MI maior ouça o tempo é música e voa...

Son Dos Poemas

Postar um comentário