domingo, 17 de janeiro de 2016

Vigília D'Lua



Vigília D’Lua 

Aquela lua branca que te vigia...
Conta manhã de outono que reverencia
Estrelas são teus luzeiros que te alumia
A vida que te apoesia faz tua alforria...

Relativo é sua relativa complexidade...
A saudade é como sente sua expressividade
A expressão tudo o que me rouba boa impressão
Segredo é quando abro botão por botão...

Com graça e ar de pecadora confesso...
Singular é fazer-se simples sabendo-se complexo
Perceber a sagacidade que te cerceia e sacia
Ser perspicaz ao perceber a poesia que te magia...

Margeia tua vida e tudo que te dá prazer...
Acariciar-te íntimo sempre melhor te fazer
Foliar na fuligem da serração do destino
Fazer-te remoçar e sorrir feito um menino...

Assim noto á lua amarelada, clara é a gema...
O ciúme que amordaça a tua língua de poema
O cúmulo é atestar que poema é estulto...
Criminoso querer amordaçar um poeta absoluto

Ingenuidade é jogar ao vento o que sente...
Mostrar pra todo mundo como se sente carente
O melhor divã é feito sobre o peito de você...
Inteligente é dizer-te amo mesmo que seja clichê...

Son Dos Poemas
Postar um comentário