quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Sim!....A Noiva Era Eu



SIM A NOIVA ERA EU


A noiva era eu cumprindo conceitos
Sim!... Era eu prometendo os tais votos
Rompendo comigo imaginando perfeito
Escrevendo meu lado torto imaginando direito

Sim!...Era eu numa era diferente
Sonhava que amor era chamado sempre
No meu sonho cabia tanto...Só a gente...
Um conto de verdade chama do ventre

Além do inimaginável das fronteiras
Terá sido do destino só brincadeira?
Amor é chama ou só mente é fogueira?
Quem fez jogo usou xadrez de metáforas?

Quantas vezes te falei em particular...
Abri meu coração num grito de alerta
Te falei amor assim é mais que singular
Tão difícil de encontrar um "amor poeta"...

Foi devorado pelo tempo que devorou...
Decifrou a poesia escrita puro amor
Sonhos também nos fazem ser pecador?
Qual foi a era que o poeta chorou?

Qual foi mesmo a era que aconteceu?
Quem parou no tempo foi você ou fui eu...
Nas minhas reticências há interrogação?
Sim!...Apanhei enquanto batia só meu coração...

Son Dos Poemas

Amor Bipolar



Amor Bipolar

Uma hora aqui n’outra acolá...
Ar de amor bipolar meu diametral
Mel d’minha alma orvalho d’Shangri-lá 
Base d’meu deserto piramidal...

Amplificador d’meu som estilístico
Amor versado no inverso agudo
Convicção do meu número cabalístico
Aparição de você no meu mundo mudo

Erguido das faces místicas da embriaguez
Arde bipolaridade que nos faz humanos
Toda nudez d’alma denota certa timidez...
Mostra nossa cara por d’baixo dos panos...

E toda frigidez do sentido é gélido e andino
Arrepia as penas das gaivotas pescadoras
Ar de amor o jardineiro d’coração ladino
Decora os ares e as mentes voadoras...

A magnificência desse amor é bipolar 
Uma ave canora que acalora o enfeitiçar
Com o canto harmonioso só faz pensar
Tal grandiosidade é que nos faz amar...

Bipolar é esse sentimento no peito
Um minueto bonito que nus faz dançar...
Amor á moda do ar pulmonar efeito
Grita tão forte que faz a língua calar...

Som Dos Poemas

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Nuvem D'Sedução



Nuvem D’Sedução

Bebo sedução na tua boca libidinosa
O amor escorrido em teus lábios d’boemia
Balbuciando o nome púrpuro da rosa 
O sorriso provocante seu charme poesia...

O segredo de sedução já sabia Afrodite...
A conspiração depura e desvenda
Move a pedra rosa da forma á rodite
Entenda sedução é prenda e aprenda...

Acende as fogueiras dá nossa vontade
Afaga corpo e alma de quem deseja
Apreende o amor é sem fim por afinidade
Justifica tudo o que faz veleja verseja...

Beija o céu da boca impele ofegante
Queima a língua e a pele tremula
Ascende a nuvem d’paixão delirante
Rutila amor ímpar te inspira... Só súmula...

Sintetiza teu autêntico gosto d’monarquia
Tuas mãos a percorrer meu oceano
Sem ti tanta saudade minh’alma acaricia...
Teu beijo fez-te meu rei soberano

Teu pináculo é arma d’sedução
Quando calafrio dedilha a espinha... 
Inunda o coração d’todo jeito d’intenção
Dita tua liberdade ‘encontra a minha...

Son Dos Poemas

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Desejos


Desejo

Vontade é bicho que assusta e cutuca...
Ter você em meus lábios enredado
Desejo d’m dia gris ser feliz ser maluca...
O beijo na nuca mais que desejado...


Desejo em cometer o pecado original
Na embocadura e estrutura do ser
Vê-lo amar na grande estrela boreal
A suculenta maçã instigando morder...


O toque d’veludo das tropas dos dedos...
O tecido carnal trêmulo avermelhado
O pronto silêncio num baú de segredos...
Tantas cores d’amor ao mel matizado


O amor sacramentado ao acaso á pino
Nosso hino d’enredo na rede incólume 
O referendo d’um poeta será destino?
Ou desatino da coleta feita em lume?


Desejo d’incondicionalidade dito ao léu
Escrito num ritual d’um livro d’espanto
Amado meu... Quem mesmo escreveu?
Um mar d’desejos num céu d’acalanto?


Versou o pecado da luxúria em linha reta...
Amou com loucura converteu ‘alma ao carnal
Apaixonou-se pela simplicidade com fúria poeta...
Quem mais irá amar o outro assim absorto real?



Son Dos Poemas 





Amor Sagrado É Amor



Amor Sagrado É Amor


Sagrado seja o amor purificado...
Aquele que se acendeu na escuridão
Cuja entrega fez-se sacramentado
Unificou a’lma p’ra sanar o coração

Num raio d’inspiração fez-se confidente
Abrasou-te o peito fez tua dor amenizar
Acelerou teus sentidos hoje resiliente
Beija tu’alma o tempo todo faz voar...

Roupas viraram trapos ao cair pelo chão?
Adorando igual um deus do Olimpo potente
Amar em desespero precipita a ação
Faz falar em silêncio á sós infinitamente...

Gritar o nome exclusivo d’quem seduz...
Trata as próprias feridas conta consigo
Alimenta-se em conta-gotas com pingo d’luz
Lar é um lugar onde o coração faz abrigo...

Amor mais sagrado é o amor amigo...
Mansão o lugar onde reina soberano
Eterno sempre uno é terno jardim antigo...
Brisa leve quem sopra é o minuano

E tudo têm cheiro difuso suntuoso...
Palavras retumbantes repercussivas
Amar em transe é amar fundo e prodigioso
Escrever amor com seivas d’ramos expressivas...

Son Dos Poemas