segunda-feira, 21 de março de 2016

O Som De Outono



O som De outono

Eis que surge o poeta das manhãs...
Sob o olhar da pétala vermelha púrpura 
O deus dessa estação com aroma das maçãs
De repente o sol poente como uma pintura


Alvorecendo com imponência após um ano
Encanecendo nas asas do tempo novamente outono
Senhor e dono dos ventos minuanos
Brisa que sopra os arbustos renovando os ramos...

Outono que precede o inverno...
Como um trem percorrendo as paisagens...
Trazendo novas vidas outras bagagens 
Novo silêncio que impera... Outono!

Desfolhando as rosas fazendo-as choronas
Como samambaias verdes amarelecendo
Novamente o outono chega renascendo
Outra estação aflorando nossas entranhas

Verossímil é essa estação outonal e bucólica
Quantas imagens em águas revoltas
Tanto reviver ao ver solene o revoar das gaivotas...
Tantas são as memórias que no ar se solta...

Folhas secas voando pomposas ao vento
Tão leve é o outono breve e sedento
Logo chega o inverno frio e rigoroso
Envelhece o outono por ser mais forte e poderoso

Deixa o outono rosa com sorriso amarelo
Perde-se do poeta na estação do além...
Um abraço um beijo e o trem logo vêm...
Uma lágrima seca e silenciosa faz o elo...

O outono o amor é veloz...
O tempo o senhor mais algoz
A passagem...
A mente faz a viagem...

Son Dos Poemas
Postar um comentário