domingo, 25 de setembro de 2016

A sete Chaves



A Sete Chaves 

A sete chaves está o segredo da Aorta 
O primeiro parâmetro o limiar da porta...
Una vontade louca de viver sem explicação
A dúvida é ser ou não ser, eis a questão.

Na segunda lacuna se senta razão
Sustenta o expoente eleva a expressão
Razão e emoção simples sentimentos
Nosso bom raciocino sãos pensamentos...

Na terceira linha preste atenção na tecedura
Anexo aos versos soltos expresso a literatura
O mês em questão num pouso leve toca o chão
A poesia avoante com brevê breve apousa o coração...

O voo livre num quarto de lua se consuma 
A brisa ocupa o quadrante com névoa embruma
E nós sonhamos o sonho mais bonito em realidade
A felicidade diz com razão está na espontaneidade...

Perco-me nessa sintonia de emoção nebulosa
Escrevo o fiel argumento em poema e boa prosa
O vento sopra Van Beethoven me toca a quinta sinfonia
Minh' aquiescência sonora num ritual de magia

Quando percebo que dia é hoje vejo sexta feira
Meço então a distância do mês que jáz fora
Mas ainda sinto sua presença e a boca declama...
Languida penso e bocejo e meu beijo te chama

Sem nada prometer só puro sentimento declamo
Decido a direção nesse exato momento te amo...
Nesse sétimo mês em vigor seguirei só o vento 
A rigor as sete chaves é amor será JULHO PORTENTO.

Son Dos Poemas 
(Sônia M.Gonçalves)
Postar um comentário