domingo, 18 de setembro de 2016

Cordel D'Manha


Cordel D’Manha

Só por manha amanhã seria...
Uma folia onde poesia absoluta reinaria...
Dormiria você que sempre amor teceria
Amortecendo versos eternos com terna inspiração 
Seria-te amante de um diamante tecido ocasião

Emoldurando o brilho do dia amante polido
Com lágrimas de cristais chorando pelo querido
Amanhã sem você e para sempre adormeceria...
Seria-me dor de saudade e ardor no coração me seria
Há dor por merecer o que desejaria são...

Diria que a dor sentiu porque desejou então?
O que encontraria nos lençóis de manhã em vão...
Tomaria cálices de orvalho em sua poção festim
Deixaria você enfeitiçado com a falta que faz em mim
Auroraria em teus sonhos eterno amanhecer...

Esvaneceria como lampejo sempre ao alvorecer
Ressuscitaria em teus beijos molhados de prazer
Tanto amor e paixão tenta a intenção que faria chover...
Pura timidez assim fez o que fez por embriaguez 
Percepção traz convicção dá asas á imaginação avidez

Nada é ou foi em vão quando vestiu fantasia...
Uma indumentária de sonho real de poema e poesia
Uma pequena área em particular sinfonia
Onde a letra da ópera a cada dia se multiplicaria
Amaria poema e inspiraria poesia poesia...

Um cordel encantado de você meu bem amado...Amor...
Sol iluminado dos meus sons e pecados inspirador
Faz-me beijar-te á língua dá liga d’olhos sonhados
Inspira-me a boca que louca deseja-te amanhã seres alados..
Meu corpo físico q’ alma é simples quer sua cronologia

Gozar em sua filosofia nua e crua te amanheceria...
Tua sempre em reverência d’amanhã amado meu
Do amor que um dia entre poesia e poema aconteceu
Um espelho que vislumbro com meus olhos cerrados
Meus braços abertos envolve teu corpo saudável e fechado
Com meu peito colado ao teu... Diamantes eternos serão...
Sempre ternos e sãos...

Son Dos Poemas
Postar um comentário