terça-feira, 6 de setembro de 2016

SE FOR AMIGO APROVA (cordel em prosa)



SE FOR AMIGO APROVA (cordel em prosa)

Vamos fazer a prova dos nove sem calculadora...
Amizade são almas para com a nossa unificadora
Se for amigo não precisa provar porque te peço...
Amigo mesmo se prova sozinho é réu confesso

Quando você menos espera lá está ele no tribunal
Te defendendo com unhas e dentes porque é ímpar e tal...
Portanto se for amigo és puro amor és pura essência
Logo a prova é esse cordel tecido por congruência

E se for amigo não precisa provar nada pra ninguém
Porque amigo é lealdade é querer e se também
A fidelidade circunda quando amizade aprofunda
Logo, fique a vontade pois é dessa poesia oriunda...

Que por sabor de amizade se faz procedente
Seja amizade boa para mim seja melhor pra gente
Vamos sempre reciclar nossa amizade cor de rosa
Falar sempre a verdade, ter dois dedinhos de prosa...

Amigos de verdade dizem o que pensam sem ofender
Quando erramos com o outro e erramos até sem querer
Pedimos desculpas sem culpa nem vergonha, sem temer...
Porque amigo é pra toda hora aconteça o que acontecer...

Contudo nos corrigimos porque errar é normal
Mas permanecer no sempre mesmo erro é ser um tanto banal
Então sejamos nós mesmos nesse papo bem informal...
Puxe a cadeira e se sente ou sentemos nós no batente afinal...

Amigos não têm cerimônia é a família escolhida por vontade
Escolhemos a dedo é quantos se podem contar em cumplicidade
E vamos tricotando um manto de carinho que não se desmancha
Fazer quem sabe uma colcha de fuxico bordada com conchas...

Com remendos coloridos diversos tons de risadas sem mancha
Se for amigo me ensine que te aprendo e a amizade deslancha
Talvez possa ser de retalhos de remendos nossa colcha de cetim
Então apreende meu coração no teu peito e o teu de você em mim

Não precisa ser ser perfeito, também não sou dura rocha
Podemos dar um tom rubro vivente ou violeta bem roxa
Amarrar com laços de fitas lilás e apertar sem afrouxar 
Misturar nossos tantos talentos ver amizade desabrochar

Feito uma rosa azul no paraíso ou outra cor qualquer...
Afinal amizade independe de ser homem ou ser mulher...
Sendo assim vamos fechar logo essa prosa com riso
E lembre-se, por amizade está dispensado nem tudo é preciso...

Só preciso que se apresente meu amigo mais querido
E leia esse tal cordel numa prosa consentido
Por afinidade dispenso-te de apresentar qualquer prova...
Mas se for amigo diga a verdade não se omita
Por amizade aprova acredita?

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves 

Postar um comentário