terça-feira, 6 de setembro de 2016

VERSO MAIS A MIM


Verso Mais A Mim

Com inspiração lida nas lendas...
Já fui comparada a Anaïs Nin
Meu caminho é cume picos e sendas
Meu sorriso a chave do portal de Odin...

Meu mistério é não ser o que talvez seja sim...
Penso que sou e assim posso...
E como ser senão tivesse poesia em mim?
Como fragmentos de versos, normal, confesso...

Mas, meu sorriso abre sim certos umbrais...
Magia da poesia que profecia vitoriosa
Caça-me euforia quando sorria causa temporais...
Assim verso á mim versando á rosa jubilosa

Nos lençóis da poética da prosa faceira
Do poema que escrevo em nórdico amor
Com meu cheiro de desejo e língua feiticeira
Diferente é escrever com batom e suor...

Mistério é poetizar com mitologia nórdica...
Escalar a sabedoria dos deuses da guerra e morte
Complexar o nascer do ser em poeira poética
Morrer de amor e ainda bem dizer é “sorte”!

Sorte mesmo é bicho comer capim...
Ao passo que outros seres mais espertos
Comem mesmo é cupim...
O meu alimento é mel de poemas concretos

De certo os beijos surreais e fulgentes...
Á quentura dos sentidos e lábios trepidantes
São mistérios de Odin e dos seres troantes

Son Dos Poemas 
SÓ Poesie
Postar um comentário