domingo, 16 de outubro de 2016

Solidão Embalsamada



Solidão embalsamada

Olor de balsamita ao crespor do ar da manhã
Solidão balsamificada que habita perfumando o viver
Mel d'esperança maturada qual coquetel de hortelã
Amor e mais nada tão difícil de entender
A escrita faz o vicio e o homem, uma tríade, quarteto...
Os acordes da trindade invadem-me equiescência
Rouba-me os sentidos e o perfeito discernimento
Misteriosa solidão d'alma num céu d' transcendência
O frescor do espirito, a esquisita simbiótica paixão
Agonia em combustão que explode pirotécnica
Esse sítio notável dá-me asa á alma que voa na aflição
O ciúme faz a cisma confrontar e insinuar ao coração

Compreendo... Amor independe da beleza física
A língua lírica adoça o sentir, saboreia amor e ludibria a visão...

Son Dos Poemas 
Sônia m> Gonçalves
Postar um comentário