domingo, 16 de outubro de 2016

UBIQUIDADE


UBIQUIDADE
Perante sua aparição faço-te eleito
Com satisfação dou-te amor espontâneo
Por entendimento és meu par temporâneo
Elejo-te perfume e essência de amor perfeito
És meu poema de itinerário desconhecido
Amante e amado pelo tempo absoluto
Reconhecido n’alma meu amor impoluto
Onipresente culto-o no peito incandescido...
Inexplicável é a ubiquidade de sua aparição 
Adocicado é o teu sangue fluído amorável
Meu amado dos olhos âmbar de constelação...
Na magia primaveril leio-te desejos ilimitados


Causa-me rubor e espanto teu beijo inigualável
Tua boca é tonel d'encanto e suspiros melificados

Son Dos Poemas
Sônia M. Gonçalves
Postar um comentário