sábado, 30 de dezembro de 2017

Raio de Magia

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, chapéu e close-up

Raio De Magia 

Existe uma poesia no ar
Chamada lente de contato
Um raio de magia espetacular
Que une o ser ao abstrato...

Existe a visão e o olfato
O poderio e a lenda de íris
O prazer nas papilas é fato
O brilho nas pupilas além do arco-íris

Existe o nada que á íris folheia
Existe você á me florescer por dentro
O celestino olhos azuis por magia
O som do vento e o poeta no centro...

Existe a impressão que refresca o olhar
O vento e a imaginação intuitiva
E tudo é questão concretizar e sonhar...
P'ra manter a chama d'amor viva!

Existem tantos mistérios no ar
Uma força maior que nos faz colidir
Assim como na terra, no céu e no mar
Há conspiração que nos faz existir...

Existe um enigma faraônico
Atrai e afasta esporadicamente
Mas se unido o som é sinfônico...
E o perfeito amor sincrônico infinitamente...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

Magia

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, chapéu, atividades ao ar livre e close-up
Magia

Margeio um mundo de encantamento...
Quando o vento fala o idioma contrário
O feitiço perde-se no vão pensamento
E a rosa dos ventos gira sentido anti-horário

A magia faz acender a chamada paixão...
Um lume de beijos é pavio do estopim
Dez vezes é a justa prova da inquisição
E pós os desejos se flambam em mim

Sortilégios são sementes in naturas férteis
Nem preciso ver para crer como São Tomé
Amarelejadas folhas acenarem voláteis
Magia é viver de fato sem válvula d’escape

Margear o céu azul por fantasia lírica
Inspirar poesia em cordéis de borboletas
Na orla da lua quebrar a magia argírica
E todo encantamento lançar ás estrelas

Assim olho por magia a tintura do alcatrão
Vejo enluarada a subtração dos sentidos
Roubar-me o ar e enfeitiçar o coração
Numa súbita atração toda magia é poema.

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalve

Curador da floresta

Resultado de imagem para jardineiro

Curador da Floresta

no luzeiro das estrelas
m'eu passageiro medieval...
No coração da floresta ardido
meu silêncio de catedral aturdido
entre o cruzeiro da pedra a língua filosofal
O valor do tudo que traduz harmonia
Na sina crucial do meu reino animal...
Meu Sol d'ouro a reação encandeia
O amor mais sagrado desde a era glacial...
madrigal o som de lira é minh' a pira musical 
Nos fractais que fagulham os tempos perdidos
nos cristais que expelem ventos gemidos...
M'eu cura a dor por natureza
me alimenta o espírito de calmaria...
Imagino as mudanças, nas têmperas há temperança
nas idades, cidades e costumes dos sorrisos
Há um quê de paraíso envolvendo esse nicho...
Uma linha tênue de esperança...
Sei, amei humanos e vesti a pele do bicho
desumano...Imagino se já vivi tudo isso...
Vi indomados egos ardidos de valentia 
Compreendi a simplicidade do curador
pré- protetor das verdentas florestas...
Por interesse e simplicidade locomotiva
abrasiva semente que é cura para dor d'alma
Dá o pão p'ra matar a fome do homem
Orvalho para saciar a sede de viver
Nessa ingrata sociedade sem saciedade...
Ah!... Vida precisada de vestir mais calma...

Son Dos Poemas 
100%Sonia Gonçalves
Nenhum texto alternativo automático disponível.

Imagem de sábado
Mensagem de bom dia!
Sondagem, triagem, viagem?
Inspiração ou bobagem...
Tanto faz...
O vento nos leva e traz...
Sábado é dia de vagabundear
Tão bom falar besteiras...
De quando em vez viajar...
Sempre ir amar...
Tomar banho de sol 
Ver gente na praça
No peito e na raça 
Deixar os versos soltos correr
Imaginar a poesia fluir..
Ir e no minuto seguinte vir
Sábado é dia pra Sorrir 
Ver o dia Feliz nascer
Saber o que nos faz acontecer
Eu e você todo dia...

Son Dos Poemas
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto e close-up

A Criança de MIm

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up e área interna

A criança de Mim 

Dentro de mim uma corda criança...
Que brinca comigo e me balança
Dentro de minha velha infância
Uma gangorra de suma importância

Cá pelo meu lado avesso direito 
Um cordel de sonho ímpar perfeito
Meu buquê de lembrança e lambança
Meu por que num carretel de esperança

Dentro de mim um tempo espiralado
Um pensamento elétrico espevitado
Elevado à potência da água da fonte
Inspirado nas nascentes sob a ponte

Dentro de mim um mundo pueril
Um horizonte longínquo infantil...
Meu espírito infanto até hoje juvenil
Meu sorriso discreto leve e sutil...

Dentro de mim mora um Anjo brincalhão
Uma moça criança numa mulher em extinção
Entende meu coração tem dia de rock bebê...
Minha cintura malemolência de bambolê...

Um turbilhão de aventura me espreita...
A guria que me habilita é borboleta
Vive em mim uma artilharia de verdades
A criança que me explica é pura verdade....

Son Dos Poemas 
100%SôniaMGonçalves

Cem Presentes


A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé

*Cem Presentes* Son Dos poemas/Natal

- Então és natal... 
- O que me ofereces de presente?
- Qual é o ato em que entro nessa peça teatral?
- Quem és de fato? Um fato presente ou rabisco de poesia?

- Sou o som do vento que assovia alegria 
- Trago-te o melhor presente minha companhia
- Trajando esses trapos sou sol e alegoria
- Reflexo dos teus sonhos sempre hoje e á cada dia 

- Meus tantos sonhos?... Reitero agora 
- Sempre algo estranho... Assim... fora de hora...
- Novos velhos sonhos... N’alma ainda mora!...Não realizei
- Sonhos e amores, coisas... Que ainda nem sei...

- Bem, venho á pedidos de incerto alguém... 
- Que tudo procurou e não encontrou também 
- Disse-me que viesse e lhe concedesse um pedido...
- Assim estou aqui... Peça e serás atendido.

- Um pedido? Hum... deixe-me ver...
- Quero um amor diferente de todos que já sei
- Que encontre sementes de amor em terras que já plantei
- Em seus olhos quero ver o por do sol e renascer...

- Então... Cem presentes dar-te ei que será assim...
- Sem sonhos intempestivos... Dar-te-ei “Dez” vasos de alecrim
- Que nesse Natal com sem presentes há de passar enfim...
- Não sorrirás mais para o vento, cem sorrisos dará só á mim ...

- Que aconteça então e serão “vinte” e um só coração
- Vinte provas dar-te-ei sem nenhuma explicação
- O sol brilha para todos sem nenhuma distinção...
- É chama que arde em amor é cem vezes sem razão

- Se isso é teu desejo que realize “trinta”então...
- Cometa mil desatinos como um sonho de verão
- Sintonize em minha sintonia e sinta meu coração
- Toque-me cem sinfonias com ou sem som de canção

- Ouvirei então som de clarim por “quarenta” vezes 
- Repetirei e repetirei por meses e meses...
- Beijarei tua boca de mel... Sempre nas alvoradas
- Far-te-ei mil sem promessas com cem horas atrasadas 

- Encontre uma estação “cinquenta” vezes... sintonize! 
- Ouça o som de cem desejos e sincronize!
- Perceba isso tudo dentro de você... Sem deslize
- Dividirei meu som com você... Mas valorize!

- “Sessenta” serão minhas prioridades...
- Sentimentos sem meias verdades
- Ofereço-te cem presentes sem elo com alianças
- Sem esperar nada demais com cem esperanças

- Se perca tentando... ”Setenta” senão der...
- Sê tenta no ano novo... Estarei aqui novamente
- Sementes haverão germinado pelo sol que é recorrente...
- Presenteando o meio no ambiente do ano que vai nascer


- Setenta?... Mas e os oitenta? 
-“Oitenta”? Já é quase cem...
- Sem presentes cem saudade nada sustenta!
- Sem!

- Ah!... Disse-me que atenderia meu pedido...
- Sem arrependimento aos “noventa” do penúltimo tempo
- Mostrarei meu lado zem... Cem por cento adocicado
- Cem mensagens de amizades assim é que sou lembrado...

- Estendi o recado, atendo seu pedido faço-me ontem...
- Como o silêncio e os meus sem sentidos
- Engulo tudo com mais de cem gemidos!
- Misturo com resquícios dos suspiros de outrem...

- Doravante o futuro é o meu presente!
- E aquela estrela cadente...Paz reluzente!

Son Dos Poemas

Só os Anjos sabem

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Só Os Anjos Sabem

Somente eles podem saber...
Aquilo que ninguém mais pode ver
Somente os Anjos podem sentir
Todo o amor que me fez sorrir

Mesmo que sejam Anjos caídos
Ainda assim... para Anjos terei eu sorrido
Mesmo que dos jardins sejam extirpados
Todo amor de verdade terá sido plantado!

Somente os anjos saberão meus segredos
Guardarão para sempre junto com meus beijos
Em trégua meus pés sabem os nós amarrados
A dor e a delícia de saborear os pecados...

Anjos meninos peregrinos na Terra
Concepção dos sentidos que fluidifica em artéria
Extensão de amor em sangue e matéria
Batimentos que pulsa o coração e emperra

Bailando os pensamentos que pairam no ar
Sem querer faz deduzir coisas boas...sonhar...
Enfeitando o ambiente com estrelas
Dançando com asas de ilusão... Voam!

Somente Anjos podem sentir amor tão perfeito
Saber a delícia que é abrigar em seu peito
Anjos que cantam amor em poesia... Doces desejos!
Cores que se encontram... Almas em lampejos!

Son Dos Poemas
SôniaMGonÇalves

Fim Do Natal


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, água, atividades ao ar livre e natureza

Fim Do Natal*

Findo...
Findado o natal, logo carnaval...
E todo ano é sempre igual
Vindo...
Um baile á fantasia de virada
Desfile de almas reidratadas
Outra rodada de ciranda
Para o mundo brincar de roda
Para nós pularmos cordas
De mãos dadas com velhas cantigas
Cantarolar...Renovar o mundo com velhas intrigas
Novos namoros em velhas varandas...
Novos riscos e novos petiscos
Novas compras em velhas quitandas 
Velho céu e novos coriscos
Velhos amores e novos feitiços
Novas taças...e novos rabiscos
Todo o tempo e o tempo todo é isso...
Pegar onda em caldas de sol e mar...
Saborear...
Tomar muitos caldos salgados...
Beber beijos sonhados sem sal
Deixar o mundo de férias até o próximo Natal!
Sorrindo!


Son Dos Poemas
A imagem pode conter: texto
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, casamento e texto

Enluarada

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Prelúdio do meio dia

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Prelúdio do meio dia
Só meio trecho do caminho
Para o desfecho que me acareia
Prelúdio para te acordar
Feito o mar que preludia...
Só p’ra na areia ir deitar...
Me predisponho cá...aqui...
Passarinho cantante
No céu do meu lugar
Dias nostálgicos tristonhos...
Ah!...deixa pra lá...
Há uma plantação pá de sonhos
Bisonhos pés de tanto imaginar...
Ah!...Há...
Joaninhas no pé de maracujá...
Pé de beijo e arroz com feijão
Pé de amor perfeito 
Pé de açucena e grãos
Pé de poema e alimento
Pé de fetiches que invento...
Pé de flor de azeviches
Pé de silêncio profundo
Pé de utopia oriundo
Pé de magia plena, ora vixe!!!
Pé de café que esperança o mundo
Espanta esse bicho bicudo
Recolhido no ninho, sozinho, sisudo
Pede que te faço um prelúdio...
Te curo depuro decanto
Só enquanto te respiro 
Te suspiro por encanto
Te faço um prelúdio 
Ao meio dia acalanto...

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

Riqueza de Salomão

A imagem pode conter: texto


Se muito da riqueza de Salomão
estava sempre provir de Ofir...
Em ouro pedras preciosas
e madeira com cheiro de sândalos 
A minha está por vir sentir efluir
teu aroma e deixar afluir tantos desejos...
Beijar-te os olhos estrelados e despejar-te na boca doce um bom-bocado de poemas 
Já inspirados...
Ao ver-te surgir fulgir os meus olhos rasgados delineados de fantasia
Com fagulhas de lápis lazúli e centelhas de ninguém em contemplação
Me despir com teu olhar de mar, âmbar...
E me vestir desse escândalo...
Apoiar a mão sobre teu coração no peito
E saber que não é de murano que és feito.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

Candelabros


A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado


Candelabros

Sol de candelabros
Luz que ilumina o caminho
Castelos de sonhos...
Coroas de espinhos
Nas alamedas floridas
E arborizadas, restos de vidas
Por toda a calçada
Gente drogada e inanimada

Sem vontade pra vida 
Sem vontade pra nada
Só o que lhes resta
É sonhar acordados
Com seres da floresta 
Bruxas e fadas

Sentam-se a mesa 
Em meio às riquezas
Joias ostentadas
Bebendo vinho, encantadas.
Fadas e rainhas, embriagadas.

Nos lençóis de seda, desejos... 
Amarfanhados no leito
Nas alcovas dos amantes 
Ninfas e brilhantes

Nas aldeias distantes
Nas Ilhas perdidas 
Os filhos do vento
As vestimentas 
São sóis e margaridas.

Céu de candelabro
Cobrindo a cabeça
Tapando a visão
Gente drogada 
Jogada no chão
Vivendo em vão.

Sonia Gonçalves 23/04/2013

Quado o Sol Sair

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, texto



A imagem pode conter: texto

Os sabores que guardamos...
têm gosto de aventura
misto quente de inocência
recheado de travessuras...
Mistura de chocolate 
com licor de menta
Alimenta meus devaneios 
até hoje o gosto inocente 
do beijo que me assedenta...
O gosto bom de croissant
feito com massa folhada canela e maçã...
Sabor de vinho e amizade
Chocolate e alcaçuz...
pura essência 
Gosto de saudade..
Que o paladar seduz...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves






















Nenhum texto alternativo automático disponível.

Dia esplendoroso


Nenhum texto alternativo automático disponível.

Dia esplendoroso <3 div="" nbsp="">

Gestante a noite dá luz ao dia...
O Poeta ordena, comece a folia!
E o mundo aparentemente faz sua cesariana 
Sem postura abre as pernas às coisas cotidianas...
Enquanto isso, Gaia prepara o sempre 
clareia as areias e águas praianas
veste o mar com saias longas e asas de barbatanas
As humanas cabeças se abrem às coisas mundanas
bocas com cicutas e sopros de zarabatanas...
Mas nada disso nos priva do ideal
Ainda nos cativa e vamos dançar!?...
Porque o nascente hoje é fractal
E meu sonho vigente é totalmente factual
São pequenos cristais de grandes desejos ...
Para repetir o novo n’outro futuro
O tudo de que me nutro é nascituro...
E eu juro!...Em alguns lugares caem 
alvos flocos de neve
Cá, branco?...Só refrão do céu azul
E o globo ocular do meu poeta rei...
Fragmentos de pensamentos ...Bem, eu sei...
Ramificação do coração em... Hallelujah!
Estendido ao reino dos 10% da minha cabeça animal.
Aqui o grito do pica-pau me desperta á manhã pardacenta...
O Poeta do cotidiano corta o cordão umbilical
E faz mais um no meu entender, parto normal ...
M’eu “Poeta do Universo "compactua...
Conspira com o Sol e brinca de casinha na Lua...
Nos mantém ligados à placenta da Terra
para alimentar o dia que hoje nasce....
E amanha cedo ou tarde se encerra.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves

Viver...

A imagem pode conter: noite

Viver...
Vim ver...
O vento regozijador
O sorriso do Anjo 
O Amor por Amor
Respirar bem fundo
Sonhar a utopia
Carregar a poesia nos olhos
Apesar dos abrolhos do mundo...
Ver o velho que se credita
E o sonho novo que se cria
Vim ver...
Quando o bem ressuscita 
Como é bom usufruir
Bom Viver!
Se você crê....
Só deixar fluir.

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonÇalves

Visão Celular


A imagem pode conter: sapatos

Visão Celular
Na ponta tecnologia Wi-Fi
nas partículas da rede...Uai!..
a biologia da célula tem sede
não há intercomunicação sem rede...
O verbo de ligação é poesia tecida
à citologia no corpo celular é lida
No olhar languido a interlocução 
na reciprocada alma´boa sensação
ao pé do ouvido o código roteador
No núcleo da célula pródigo Amor...
Ah,...Comunicação que nos valha!...
Dentro dessa parafernália
uma cigarra louca me canta
na fornalha da memória binária
Sela minh’ expectativa
do sempre encontrar a recíproca
do palavrear em coro...
Na lua , na rua, n’outro logradouro
Não importa a estância...
A corrente do pensamento assegura....
Aternura o corpo celular à distância
Dá corda ao vocal...
Planta um horto de ESPERANÇA!!
Na pele curtida, na vida de fato...
Há cactos e orquídea 
Num buquê cabedal!

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonÇalves

Tantos Sãos Natais


A imagem pode conter: texto


Tantos sãos natais...Que desfrutei sã... 
Comi cérebros no formato de noz “pecan”
com simpatia degustadora...
Já posso me dizer “desfrutável”
preparando as romãs...
Para o Novo Ano PORTENTO
Re-comendo poesias, mas,
Como alimento...
Para desfrutar compotas...
E as rubras sementes das romãs?
Para quem, sei lá...Gosta?
100% “abundância” 
Para um novo TEMPO!
FOCO no que Importa


Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonÇalves

sábado, 9 de dezembro de 2017

Poema Público




Poema Público

Meu poema é Bem liberto...
Doo aos prazeres não mundanos
Resgato das cordilheiras do infinitivo 
É um poema de acalanto Bem primitivo
Para os quem têm desengano
Se está vivo há esperança voa no céu...
Intercalada feito pomba de papel
Em toda parte faz parte dentro do encarte teu
Existe um pedacinho é só pegar ao léu é seu...
Meu plano é harmonizar sem fim
Levar paz e amor ao espírito
Sossegar a alma de tu e de mim
É meu poema do Bem que te rabisco
Degusto pois o sabor é poético petisco...
Rústico mas composto de carinho
Meu poema é Bem público e amável
Asa de aconchego e Bom auspício
É augusto passarinho...
Cujo vício é avoar
Levar Amor pelo ar...
Confortar com
Paz e Luz
Seu lar.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves

domingo, 3 de dezembro de 2017

Dezembro-ando...



Dezembro Ando

Chegou então dezembro...
Com ar de ano passado lembro...
Houve uma canção erudita...Infinita...
Ainda é estação das flores...Acredita?

Uma sonata delicada e bonita...Ouvi...
Outonei invernei numa cantata...Sem ti...
Primaverei verão numa cantiga me senti...
Ouvindo sons de violino de voz amiga vivi...

Janerei fevererei..Em março marcianei...
Estive em marte vi marcianos delirei...
Tantas coisas que já nem sei tantos planos...
Acho que chorei sonhei... Assim passam-se anos...

Enfim...Ei de fazer tudo melhor do que fiz...
Desejo que seja bom para todos feliz!
Que toque dezembro dias sonorizados 
Acorde os violinos harmonizados...

Dezembrem!...Sintam há magia no ar...
Parece feitiço todos querem dançar...
Pena não ser o ano inteiro esse sentimento
Nuvem passageira coisa do momento?

Sentimentos florescidos escondidos...
Dezembro me acolhe e me rouba os sentidos
Rouba-me o beijo do sempre amado inspirador
Meu poema desencontrado escrito no meu eu sonhador...

Pode entrar Dezembro e traga-nos...
Um grande amor?..

Son Dos Poemas
SôniaMGonÇalves

Os sabores que guardamos





Os sabores que guardamos...
têm gosto de aventura
misto quente de inocência
recheado de travessuras...
Mistura de chocolate 
com licor de menta
Alimenta meus devaneios 
até hoje o gosto inocente 
do beijo que me assedenta...
O gosto bom de croissant
feito com massa folhada canela e maçã...
Sabor de vinho e amizade
Chocolate e alcaçuz...
pura essência 
Gosto de saudade..
Que o paladar seduz...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonÇalves

sábado, 25 de novembro de 2017

Curador da Floresta



Curador da Floresta

no luzeiro das estrelas
m'eu passageiro medieval...
No coração da floresta ardido
no meu silêncio de catedral aturdido
no cruzeiro da pedra na língua filosofal
O valor do tudo que traduz harmonia
Minha sina crucial meu reino animal...
O Sol era ouro em reação em cadeia reluzia
O amor sagrado desde a era glacial...
madrigal o som da lira na pira musical 
Nos fractais que fagulham tempos perdidos
nos cristais que expelem ventos gemidos...
M'eu cura a dor por natureza
me alimenta o espírito de calmaria...
Imagino as mudanças nas têmperas há temperança
nas idades, cidades e costumes dos sorrisos
Há um quê de paraíso envolvendo os nichos...
Uma linha tênue de esperança...
Sei, já amei humanos e vesti a pele dos bichos
desumanos...Imagino se já vivi tudo isso...
Indomados egos ardidos de valentia 
Será compreendia a simplicidade do curador
o protetor das verdentas florestas...?
que por simples interesse se locomovia 
para trazer na semente a cura pra dor d'alma
O pão pra matar a fome do homem
na mata que orvalha da noite pro dia
Acata humildade para a dama da poesia...
A nata da ingrata sociedade sem saciedade...
A vida anda precisada de vestir calma...

Son Dos Poemas 
100%Sonia Gonçalves

Novembro bem floreado



Novembro Bem Floreado

Florejado de primavera
Vem novembro florescido
Cravejado de abundância
Eclode floreado e acrescido
Ungido de temperança
Acolita aos navegantes
Novembro florejante 
Cheio de estrelas rutilantes
Da flor de novembro...
Das poesias afloradas
Das esperanças dobradas
Dos que admiram a lua argenta
No sagrado que o espírito alimenta
Nossos Anjos das metrópoles
Nos ciclones e ciclopes
Nos unguentos que a carne fareja
Nas brumas que o destino viceja
Novembro floreja...
Na perseverança com calma
nas gentes condescendentes...
Nas almas humanas pascentes
À flor da pele tatuada
Um ramalhetes de flor de hena 
Amor de novembro 
Seja o mais lindo poema...

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

Página Inicial



Página Inicial...

Folheando um dia normal...
Me acho desfolhando ao tempo...
Sei, isso não é bom nem de todo é mal
É só uma página inicial...
Mas alguns cachos d’orvalho me deslumbram
derretem de manhã bem cedo
E correm riacho abaixo...
e percebo meu descuido e tropeço
Bato o pé na touceira de capim 
Olho o céu e vejo puro expresso
E confesso há uma menina escondida em mim...
Cheiro um sachê de esperança
Nas diminutas flores de alecrim
Tão verdejante quanto as folhas de aipim... 
Começo a semana e ouço
A sinfonia do vento
E ouço e grito 
ah!...Seu moço...
Ah!...Se não fosse a poesia...

Son Dos Poemas paciencia lenine
100%$ôniaMGonçalves


Prelúdio do meio dia




Prelúdio do meio dia

Só meio trecho do caminho
Para o desfecho que me acareia
Prelúdio para te acordar
Feito o mar que preludia...
Só p’ra na areia ir deitar...
Me predisponho cá...aqui...
Passarinho cantante
No céu do meu lugar
Dias nostálgicos tristonhos...
Ah!...deixa pra lá...
Há uma plantação pá de sonhos
Bisonhos pés de tanto imaginar...
Ah!...Há...
Joaninhas no pé de maracujá...
Pé de beijo e arroz com feijão
Pé de amor perfeito 
Pé de açucena e grãos
Pé de poema e alimento
Pé de fetiches que invento...
Pé de flor de azeviches
Pé de silêncio profundo
Pé de utopia oriundo
Pé de magia plena, ora vixe!!!
Pé de café que esperança o mundo
Espanta esse bicho bicudo
Recolhido no ninho, sozinho, sisudo
Pede que te faço um prelúdio...
Te curo depuro decanto
Só enquanto te respiro 
Te suspiro por encanto
Te faço um prelúdio 
Ao meio dia acalanto...

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

Minh'Riqueza


Minh'Riqueza

Se muito da riqueza de Salomão
estava sempre provir de Ofir...
Em ouro pedras preciosas
e madeira com cheiro de sândalos 
A minha está por vir sentir efluir
teu aroma e deixar afluir tantos desejos...
Beijar-te os olhos estrelados
e despejar-te na boca doce
um bom-bocado de poemas 
Já inspirados...
Ao ver-te surgir fulgir
 os meus olhos rasgados
delineados de fantasia
Com fagulhas de lápis lazúli
e centelhas de ninguém em contemplação
Me despir com teu olhar de mar, âmbar...
E me vestir desse escândalo...
Apoiar a mão sobre teu coração no peito
E saber que não é de murano que és feito.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves




Penso




Penso...
Amar é o verbo que te faz denso
do modo mais bonito e intenso
enlouqueço reconheço o rebuliço
a mágica ligação é ouriço ou feitiço

Há súplica do órgão mais barulhento
o sangue na corrente em borbulhamento
ser e estar o tempo todo no pensamento...
ao mesmo tempo verve dentro do peito 

Um poema auricular no átrio do coração
perfeito é respirar o ar e oxigenar o pulmão...
do lado esquerdo e direito dessa anatomia
meu jeito de conjugar amor é pela poesia

Tão descomplicado que a arte faz artificio
Reger uma sinfonia é parte boa deste ofício 
Apoemar o luar com amor, sonhar, dançar...
Convidar, sugerir...”vamos fugir” 
Se perder na ventania, comer, amar, dormir...
Acarinhar nos dedos os cabelos teus... 
O esquisito é precisar chamar-te de meu (...)
E tu dizer minha. (...)
“Meu Amor”
Quem será tu, quem serei eu...
Ah!...como é esquisita essa conjugação...
Nosso verbo de ligação é ser feliz
Num novo tempo, numa nova estação

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGobçalves

Luz sintética



Se a luz sintética inspira o poeta...
imagina a refração da luz solar
O jogo de luz que o rosto alveia
esconde as marcas do tempo e do ar...
A Luz que me inspira dá ideia e clareia
esclarece o tudo que te faz inspirar...
Acho que a lua que te ilumina 
não é a menina do meu olhar...
Talvez seja a lua nova de novembro
e não a crescente se bem me lembro 
é de quase dezembro a do meu humilde lugar
A minha lua não se veste de noite escura
despe-se completamente lunar
e veste-se de hosana nas alturas
Usa um pingente de luz solar 
num cordão de estrelas concretas...
Brilha para iluminar toda gente
nesse novo fim de semana 
e inspirar a poeta de mim paulistana...

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Não é preciso palavras



Às vezes não é preciso palavras...
Apenas um sorriso e o poema surge ás lavras
As palavras delineiam na fusão de nós
Desatam os pensamentos resenham sós
Forjam quantas luas de papier mâché
Cordéis de estrelas num céu de papelão
Inspirando m’eu me levando até você...
Voando num tapete escorregando pelo chão
Posso trilhar esse caminho com nervos de aço
Só p’ra receber um carinho, um beijo, um abraço...
Às vezes tudo parece tão esplêndido
Dentro desse compêndio pura analogia
Tudo é tão lindo que compreendo poesia...
Escrevo a realidade por intuição e rebeldia
Estamos no fogo cerebral
No meio dum incêndio corporal...
Às vezes o coração complica e conspira
Logo a cabeça simplifica à holística se inspira
De quando em quando só é preciso sossego
E me pego pensando no teu cheiro 
Aconchego meu silêncio e penso...
O belo é teu olhar quando atravessa o meu.

Son Dos Poemas 
100%$ôniaMGonçalves

Diga lá meu coração poeta...



Diga lá meu coração poeta...

Feliz é ter uma estrela na mão
Ainda que em flor de anis estrelado
Ser poeta caminheiro viajor aluado
Seguidor da rota do destino 
Ainda que ao súbito traçado
Ouvir a voz do gps com timbre de bina
Dizer, siga reto dobre na estrofe de rima...
Leia minha nova versão ao crush
Vê se depura minh’emoção Holy Wood
Traduza-me a face corada ao blush
Leia-me com candura e razão amiúde
Enquanto enfrenta a loucura na hora do rush
Me enseja e molda-me à mistura da terra
e dita a filosofia a mania é vão...
Me explica então sê maloco poesia 
Nas furnas efervescentes 
Nas urnas mortuárias e frias
Nas ancas quentes e ardentes
Nas tantas filosofias jacentes
No amor platônico de plantão
No ser discípulo de Platão
“Não se envergue ao vil metal“
Segue o ideal do teu coração...


Ser discípulo da felicidade é seguir o ritual de ser...
O que sou eu o que é você dentro dessa pedra filosofal!?...

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

Dispositivo Lunático



Dispositivo Lunático

Meu campo periférico é aluado
O meu olhar emergente é tangencial
Há visão dum poema diferente sazonal
N’outro canto almado...


Meu volátil argumento é lunático
Sob minha ótica com grau de miopia
A ligadura entre as almas é poesia
Num fio de ligamento tântrico...

Dentro dos pensamentos tantos...
O desejo que só os olhos abraçam
A ternura cujos quereres agraçam
Toda contextura dos músculos

Na luz do multicolorido amor
O empirismo dá aos sentidos explicação
E a cantilena poética acantiga o coração
Em mim toda pretensão de ser tua flor.

Son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

domingo, 15 de outubro de 2017

A Chave Mestra (Homenagem aos professores )



A Chave Mestra

Só com ela você abre portas infinitas
Onde residem três pérolas raras e bonitas
O saber que lhes proporciona a beleza
O aprender que lhe concede a riqueza


E o ensinar que é um exercício de amar
Amar que se faz pelo prazer em dividir
Ensinar á quem quer o filão repartir
A chave mestra se faz reservar

Todo carinho pra lecionar por amor
Ensinar seus pupilos é lhes dá ascensão
O prazer de sentir a ignorância em extinção 
Assim é o existir do doutor professor

Mestre que versa com o verbo saber amar
Professor que ama com o verbo ensinar
Em um universo de troca dar e receber
Permeando a estrela do ler e escrever

Entregando a chave mestra da sapiência
São os professores que lecionam consciência
Nas ciências das mágicas leituras
No desvendar das letras configuras

Alfabetizando o infinito ignorante com virtude
Transformando o aprender em diamantes
Serão sempre lapidadores das mentes...
Perpetuando um futuro com magnitude .

Sonia son Dos Poemas
100%$ôniaMGonçalves

Cântico ao Mestre




Cântico ao Mestre

Contemplar-te como a um mirante...
O cântico dos cânticos dos docentes
Oh!...Quão belo faz meu horizonte
Abrindo o mundo aos olhos discentes

Canto a ti mestre com sede de saber
Falar a língua dos homens e dos Anjos
Aprender e saber ouvir-te p’ra entender
Sua profissão é profecia dos Mestres Arcanjos!

Interpretar-te no contexto ás circunstâncias
Na tua fronte ler-te a expressão locutora
Venero teu nome em todas as estâncias 
Recito-te meu cântico professor ou professora

Valorizo-te perito instituído mestre instruidor
Um nome que grito entre tantos homônimos 
O cântico mais bonito d’mim em tu inspirador
Ao mestre o mais puro amor em tantos sinônimos

Tua arte e oficio te faz poema espetacular
Essencial é ter-te mestre para ensinar-a’rte
Ler uma partitura num cântico singular
Ouvir tua cantiga ressoar em toda parte...

Son Dos Poemas 

domingo, 13 de agosto de 2017

Aos Pais


Aos Pais
"Pais marinheiros“de primeira, de segunda,
de terceira, de tantas viagens...
O PAI timoneiro mor que traz o "timão"nas mãos
e ao mesmo tempo embala o filhão nos braços,
protegendo do sol, da chuva, do vento...
Sendo sempre forte mesmo apesar do cansaço...
Parabéns aos papais vovôs que tecem fio a fio seu Amor
pelos filhos e netos amados por tantas gerações
Traçando sua história na trajetória do tempo,
sempre presentes em tantos corações por toda a vida todo tempo...
Por ser provedor que é suprindo os filhos
com o melhor de todos os alimentos,
Amor e Pão, Abrigo e Educação...
Parabéns Capitão e parabéns às Capitãs das areias também
que são tantas, mulheres pais quase santas!!!...
Criam seus filhos por um motivos ou por outro assumindo a falta do pai e exercendo com competência o papel de Mãe e Pai ao mesmo tempo!...
Parabéns à todos os tripulantes desse imenso Navio
Nessas marés oceânicas, onde a VIDA flui feito um rio...


Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

domingo, 6 de agosto de 2017

Agosto Bom



AGOSTO BOM
Ah., gosto sim...
Há um gosto bom de estreia
De Agosto e divina colmeia
Festim!!!
Bem ao gosto de tu e de mim
Há gosto o suficiente
Para abastecer toda gente
Sonhar com os lábios silentes..
Realizar sequentemente
Que então seja Agosto o linho
Uma taça do melhor vinho!
Vamos nós saboreando aos pouquinhos...
Que seja Agosto licor encorpado
Ao gosto popular o sabor nos contemple
Amor por tabela nos floreje sempre
Sol de primavera nos beije a testa
Nas primícias a delícia faz festa!
Amar seja Agosto gostoso
Bem por dentro do nosso esqueleto
Pulsando no peito vigoroso!
Seja assim de todo jeito
Ao gosto popular bem comum
Perfeito pra somar um mais um
Fazer amor acontecer e deixar fluir...
Amar Agosto augusto sentir
Com gosto bom tomemos esse elixir!


Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Liberdade





Liberto 
Com livre teor poético 
Cheiro de café
puro expresso
pão com manteiga
e boas risadas 
até dizer chega
sem pieguices 
esteja amar
seja meiguice 
é agradável ao paladar
Son Dos Poemas

Ânsia que Te Abraça



Ânsia Que Te Abraça

Anseio eu abraçar tua ânsia...
Segurar tua mão acender teu caminho
Ser teu remédio placebo e ciência
Seiva por circunstância pão e vinho...

Envolver-te com carinho e leniência
Espantar-te o peito afugentar a dor
Acalmar teu espírito com elegância
Depurar tu’ alma com essência d’amor...

Minha sentença será t’a mansidão 
Continuar esse poema e deixar fluir
Espantar tua agonia vil e vão
Ser incenso e cura a loucura d’existir

Escrever-te ‘ encanto em expansão 
Mesclar teus sonhos com meus desejos 
Libertar teu espírito ser t’a inspiração
Ser amada entre lençóis d’beijos...

Aspiro sim ser tua mistura poética
Ser teu lume de beijos sonhado
Sentir-te sem medida sem métrica
Dizer-te és meu poeta declamado...

Dar-te-ei a poção mais doce d’meu amor
Falarei a língua dos Anjos em verdade
Direi adeus num buquê perfumado de flor
E vos prometerei eterna lealdade...

Son Dos Poemas

Alma Bonita


Alma Bonita

Descreve tuas ações á somatória 
Diz que o tempo não te consome
Dá-me tua língua em doce oratória
Inconfundível sussurra meu nome

Dê ao mundo inteiro á palmatória
Pede ao Anjo que guarda teu corpo
Conta ao céu marinho una história
Dois passarinhos num voo absorto

Agora plante em mim tuas catleias
N’aurora renascentista e absoluta
Sente o cheiro doce das orquídeas
Perfume extraído da essência bruta...

Acende a luz d’alma impoluta...
Conspira a fantasia mais ilibada
Decora teu canteiro de forma voluta
Inspira no jasmineiro a poesia arraigada

Insiste que o sempre sempre existe 
Que o eterno põe na conta dos prós
Amor pra durar não precisa ser triste
A vida é bonita mesmo cheia de nós...

Muita calma nessa hora é artificio
Porque o mundo inteiro se arvora
O esqueleto é osso sob a pele d’ofício
A alma bonita sorri por fora, por dentro chora...

Son Dos Poemas *Sônia M.Gonçalves