segunda-feira, 20 de março de 2017

Minha Fonte Côncava




Minha Fonte Côncava

Escorre a palavra pelo canto da boca
Canta a voz côncava em convexa rouca
Nada poderá calar nem dizer proibido
Beber na fonte dos olhos gemer no ouvido

Nenhuma palavra jorrará da fonte
Nem brilho nem martírio doravante
Ausente serei flor decorada n'm cântaro
Estarei voando no céu azul feito pássaro

Qual uma gralha celeste d'alvorada
Emudecida calada d'asa alada
Em tua madrugada me farei beijada

Serei tua chuva de rima molhada
Louca amada amante desvairada
Fonte dos desejos d'águas aguada...

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

Amor Maduro



Amor maduro

Amor maduro
É existir sempre em matéria...
Matéria que devora os sentidos...
Transforma em desejos carnais...
Os sentimentos de amor mais bonitos.
Oriundos não se sabem de onde.
Quando de emoção é tomado...
O seu eu apaixonado ao ler um poema...
Que lhe foi dedicado.
Mesmo que seu nome não seja citado...
Sabendo que foi inspirado em você.
Faz-te sentir todo amor que lhe é devotado...
Uma expectativa de renascer...
Vivendo sempre em você.
Meu céu paraíso em flores...
Fazendo esquecer os amores imaginários...
E vivenciar nosso amor tão maduro...
Que se faz puro na essência de nós.
Que demonstramos sem falsos pudores...
Nossos desejos mais primitivos...
Tão aflitivos em nos amarmos.
Saboreando o momento á cada gesto imaginado...
Perdendo-se em lençóis de céus e mares...
Transcendendo o universo galáctico.
Num total desacordo com a realidade


Sonia Gonçalves 

Já Que è Pra Sonhar


Já Que É Pra Sonhar

Sonho muito voo alto...
Bato asas corro o asfalto
Veloz como vento suave feito pluma
Como sonhos me embriago d’ bruma

Voo nas nuvens amo poema
Alada feito um Anjo sem problema
Já que me disseram pra sonhar...
A linguística é minha ciência elementar

Vira e mexe estou na lua toda nua
Sem lenço e sem documento sempre tua
Donzela despudorada do teu vasto elenco
Protagonista da tua inspiração foliã do vento

Não sou freira nem santa fujo de convento
Não voo ao inferno meu Anjo é ciumento
Já que posso sonhar não perco um segundo
Levo-me até você trago-te para meu mundo

Digo tudo o que penso e sinto não minto
Simplifico o bonito é logo ali no infinito
E a poesia veste seda e linho, mas é humilde...
Todo verso faz rima com som amiúde...

Já que posso sonhar refaço meu destino...
Vou me deitar no poema ceder ao meu desatino
Levar minha sombra lado á lado para caminhar...
Irei até Portugal ver a tal abrótea nadar...

Son Dos Poemas 
*SôniaMGonçalves

Seu Tempo



Seu Tempo

No último minuto do segundo tempo
O vento sussurrou um segredo
A noite traduziu o enredo
O ano novinho todo seu!
Bem que vi aquele girassol 
Mais sorridente pela manhã
Sorria para o poente 
Com hálito de hortelã
Girava para todo lado
Com encanto entre os raios dourados
Brilhando em amarelo ouro
E o verde cheio de esperança
Exalou um cheiro de Felicidade 
Me fez pensar...
Amizade rima com amor 
Senti um cheiro de flor 
De Parabéns pelo ar!!!
Parabénsssssssssssss!!!
Beijossss mil querida "Vida Longa"
Dama do Girassol!
Son Dos Poemas

Cântico D’Alma Mulher


Cântico D’Alma Mulher

Ser mulher é nascer e celebrar
É preciso ser de corpo e d’alma
Imprescindível é saber sobrepujar
Ser a seiva que embriaga e aperfuma

A bruma que clareia os sentidos
Ofertório em amor leve feito pluma
Ser mulher é ter olhos e ouvidos abertos
O tempo todo o sexto sentido que apruma

Ter n’alma pura a destreza d’uma águia
Una ave Maria fênix persistente por instinto
Reagente como o absinto em substância
Enigmática qual buque de sangue tinto...

Doce feito pimenta jalapeño mexicana
Mais ardida que sol a pino ao meio dia
Ser mulher é ter o cântico n’alma cigana
Ser romântica ser dramática ao ser poesia...

Ser mulher é ser mistério e translação
Referendar seu canto de sereia e sedução
Vestir um manto de prendas sim ou não
Amassar o pão e obter o vinho a pé e mão...

Ter à pele em flor feminina de fantasia
N’aurora toda pura ser sedutora insinuante
Mulher é mãe e também filha professora e profecia
Dona dos rituais mulher é ser magia eternamente.

Son Dos Poemas*SôniaM.Gonçalves

Verbo Mulher

Verbo Mulher

Lâminas refletoras de luz...
Mulher verbo que casa e conjuga
Gesta e ilumina o ser que produz
Paga os pecados na terra expurga

Ser mulher é sim nas nuvens padecer...
Morrer e renascer nos descendentes
Fazer da terra paraíso transeunte prazer
Vestir intuição D’luz N’alma silentes

Mulher entre mundos urbanos campestres
Saboreia o desespero busca felicidade
Constrói nos céus paraísos ancestres...
Faz d’amargor agridoce apura verdade

Ser mãe e filha da terra a fertilidade
Acolher o grão germinado no ventre
Brotar como água num grotão d’liberdade
Regar o arco-íris p’ra manter o sempre...

Ser todas as estações livres como agora...
Ser eloquência e superintendente do vento
Espalhar as vontades infindas e pranto n’aurora
Se revigora no Amor sabe o melhor provento...

O argumento é arma da mulher que ama clichê...
Anas, Helenas, Severinas, Neides ou Franciscas
Todas Nós Marias sem nome codinome p’ra quê?
Nós somos almas fêmeas flores d'nós primaveras...

Son Dos Poemas

sábado, 11 de março de 2017

Correria P'ra Me Alcançar



Correria P'ra Me Alcançar

Correria sim se eu pudesse...
Alcançar em mim o que me esquece
A juventude não fosse florisse
E toda lágrima não chorasse sorrisse...

Correria pelo sim pelo não
Um dia agora n’outro mais tarde
Um beija flor pousasse na palma da mão
Carregasse toda a solidão que me arde

Bebesse o doce mistério amorável
Derramasse nos lábios derradeiro beijo...
Dissesse-me “amar é a razão mais razoável”
E teus suspiros fossem doces despejos...

Dessem vazão pro improviso versejo
Navegar em tua boca á catadupa
Explicar o inexplicável amar que bordejo
Tu cachoeira que refestelo sem culpa...

Se do chão só riso se abrisse em bagatela...
Bem sagrado visse vida a mão humana
O caminho feito fé peregrina á Compostela
Ouviria a voz que emite e d’alma emana...

Por fim correria se o vento em alazão
Não embaraçasse a pelagem robusta
O tempo não fosse correria que vão...
A vida lima e limão q'me aurora e degusta...

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves

Arte: escultor inglês Robin Wight