domingo, 30 de abril de 2017

Substância


Substância

A natureza é por excelência 
Sólida ou líquida pura substância
A essência contorna o corpo além da matéria
O pó da aparência a vã florescência

Está pré-subsidiada na alma etérea
Torna a essência do ser em rutilância
Extrai lá do fundo d’alma fragrância
A pureza genuína em beleza sidérea...

A substancial filosofia dá massa cinzenta
Coração em amor depura poesia em síntese 
Paixão sem consistência adura é antítese 
Entre dura e mole à substância se sustenta

Amor verdadeiro nunca aterra não encerra
Desce lúgubre sob a fornalha crematória
Sobe lendário sobre a nuvem expiatória
Vive vivo sobre os campos à flor da terra

Toda substância é ingrediente de composição
Compõe e descompõe e busque-nos explicação
Amarra e liberta voa e poeta em aquiescência
Abstrai e alimenta mata a fome em substância.

Son Dos Poemas*SôniaMGonçaves

Sinestesia




Sinestesia 

Coleção de tantas expressões...
Associações em palavras genéricas
Em conjunto um rol de impressões
Nos sentidos de alertas cenestésicas

Somente o amor à dor dá anestesia
Carinho e afeto são folhas de unguentos
Palavras podem acariciar em harmonia
Vê a sinestesia é do Ser entendimentos

Um mundo de sensoriais em sensações
Ilusões são sonhos e criam quimeras
Transformam utopias nos nossos corações
A arte que livre circula pelas tantas artérias

São como as chuvas que embebem os ares
Os sentidos úmidos captam a sinestésica
A estética moldura as palavras ao revés
Faz a combinação perfeita ser plasmática

Tudo depende do sentido no sentido básico
Da cinestesia dos músculos em cortesia
Dos corpos que causam estímulos trifásicos
Da ligação iônica com alquímica poesia

O crepúsculo chega com querer  sobre-humana
Sob a luz dos astros meu desapego do mundo
No simpático do hipotálamo a hipótese mundana
Assim me floresço no vaso mesentérico mais fundo.

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

A Leveza do Ser




A Leveza Do Ser

Abri a janela do jardim secreto n’alma querente
Pelas frestas vi um ser de magia ascendente
Tinha voz de poesia ardente e apaixonada
Recitava minha querida... Minh’ terna amada...

Dourava-me a pele com reflexos solar
Irradiava afeto e meu amor era puro amar
Por tanto querer me aconchegava em seu peito 
Mágico e sedutor era seu beijo mais que perfeito...

Vi ali um mago sereno em pleno halloween...
Bebia minha literatura e admirava Anaïs Nin
Ah!...Doce travessura falava de amor sem fim
Olhava-me nos olhos e sorria-me em marfim

Falava que sentimento não exige explicação
Que movimentos do vento são uivo e canção
Lembrava-me Meireles quando vestia ousadia
Ouço ainda a consonante voz de sua poesia

Toda leveza está em saber-se humano e mais nada
Amar ao sabor do tempo sem razão emocionada
Insano é acreditar poder governar o sentir
Perder-se em poesia é escrever seu existir

Fazer dos momentos bons e validados
Poetizar os serenos pelos campos enamorados
Cumpliciar-se em amor inusitado e singular
Perolar as almas poéticas, amar e amar...

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

Estado de Borboleta



Estado de Borboleta

Todo dia um novo rito...
O primeiro do terceiro ciclo
Meu estado de crisálida figurado
Á pálida manhã de um outro estado...

Sem casulo pra me abrigar
Senhora dona do meu aluar
Sô eu mesma em três tempos...
Permaneço em ti nesse momento

No pretérito do futuro em algum lugar
Na orla dos olhos pensativos
Nos desejos primitivos
Na ponta dos dedos meu enredo...

Minha brigada é guerra constante
Minha vontade tem asa volátil 
A briga é meu continente de rimas
O apoio é supremo vem lá de cima

Vagueio em contingentes ao luar
Caminho ás circunstâncias volantes
Conforme a variante do som sô mutável
Tudo me parece moldável clichê

Hilário é ouvir o papagaio cantar ópera aqui...
E pensar que meu clichê é amar você aí...

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves

Mel particular



Mel Particular

Com sabor de poesia transcendente
No sentido auricular que te ouço
No gosto da mordida transeunte 
O vampiresco beijo no pescoço...

Na boca que cala inebriada
Na expressão da face mais ridente
Na gélida saleta se quer notada
A felicidade arraigada na língua ardente

Todo mel particular transluzente 
Toda luz perpendicular do radiante
Nos olhos luminosos o querer reluz
No néctar da flor o doce seduz

O mel está na partícula da flor da laranjeira
No meu infinito tempo em véu de esperança
No fel do leite que jorra da fértil figueira 
Nos recônditos d' alma no céu de lembrança

O destino que testa e doa-nos esta herança 
O feitiço incandescente num lume de beijos
A oferta ao m'eu poeta em eterna querença
O perfume impregnante no buquê mil desejos...

Son Dos Poemas 
Sônia M;Gonçalves

Poesia inspirada no livro O mundo de Sofia



Atendendo ao desafio da minha amiga Sandra Boveto da Silveira que foi desafiada por um também amigo seu...
Dizendo que deveria:
"imaginar-se como personagem de um livro famoso - imagine que você é ele em todos os aspectos. Tente escrever um poema como se fosse ele escrevendo. Marque seus amigos e os desafie."
Como parte do desafio, convido os amigos


Poesia inspirada no livro O mundo de Sofia

Conhecimento é reter a informação e usar com sabedoria...
Quem nos dá a inspiração e faz da filosófica poesia,
o que é mesmo verdade e o que é pura ilusão?
O quanto me cabe conhecer sobre a origem real do mundo?
Quanto cabe do mundo na palma da minha alma em verdade?
Quanto de conhecimento cabe dentro de mim?
Para onde levarei tanta informação no fim?
Sou eu quem diante do espelho faz a reflexão,
ou apenas um foco de luz me dá projeção?
De quem é a mão que me segura a cintura?
De quem é a cria e de quem a criatura?
Quem somos nós, nessa dialética da filosofia socrática?
Quem sou eu nessa prosa poética de chama policromática?
Diante do espelho quem é a sombra com quem me pareço?
O corpo que vejo é meu pelo direito ou sou eu pelo avesso?
Quem responde a enigmática das tantas filosofias?
Responda espelho, vê se me escuta...
Por que o mais importante filósofo tomou o veneno da cicuta?
Quem de verdade compreende Platão de alma e coração?
De repente velejo em todo reflexo desde o boom da criação
Devo sim ser Sofia, em nome e significado pura intuição
Minha sede é saber qual foi a argila que me amoldou
Me pergunto então se existo, qual o grão de poeira
ou foi pó de uma estrela que me gerou?
Me encontro confusa, mas sei, sou diferente do inanimado
Se, somos mamíferos vertebrados e isso é algo concreto
Se, somos dotados de crânio e espinha dorsal é isso é um fato
Se os pássaros podem voar e eu posso me imaginar
Se, posso pensar tudo isso é porque eu existo
E se existo vou pensar sobre isso um pouco mais...

Sofia Amundsen diante do espelho falando consigo mesma.
O mundo de Sofia *Romance da história da filosofia
*Jostein Gaarder
Son Dos Poemas *SôniaMGonçalves

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Meu Amor É Nosso





Meu Amor É Nosso

Sim teu amor é meu encanto...
A saudade tormento empossado
Sim meu amor é teu portanto...

Prantos de nós dois agonia destilada
Invento tantos afluentes e bebo a ternura
Água em fio dourado de sóis na ribeira

Azeite das oliveiras mais doce candura
Ondas do mar são chibatadas dos Titãs
Bordas do vento meu suspiro d'amanhã

O futuro beijo deleite das figueiras afã
Sim meu amor é teu encanto em essência
Perfume dos deuses Olímpicos aquiescência

É a delícia d'nós ás margens do inimaginável
Nossos sonhos alvorecidos de lua 
Banhados d'estrelas nos olhos mirantes

Sim meu amor é nosso apelo elegante
Palavras nuas minhas e tuas...
M'eu pelo teu silêncio dorminhoco

Os desejos mais imediatos e afoitos
Nós nos lençóis dormentes...
Inversos e ferventes aqui ou no beleléu

Ponto a ponto naquele pedaço d'céu
Apertado nos nossos beijos de mel
Impressos nos olhos poéticos languidos

Sim meu amor é nosso d'amante
O dia dos amantes poemistas
O balé dos pássaros migrantes

Delírios com dedos d'alquimistas...
O tempo das gaivotas avoantes 
A Odisseia mais louca dos tecladistas

O tempo inquisidor anarquista 
A conspiração do ponteiro itinerário 
De repente o tempo inteiro cem voltas...

Sem retorno desregrado sem segredos
As memórias em documentários
Sem rédeas a cavalgada ás soltas...

As marés revoltas atropelam os penedos
Perante o homem que chama a mulher
A mulher que deixa o homem em chamas

Alguns sonhos são eternos segredos 
Outros enredos amor apenas 
Poema de dois que se amam...

Son Dos Poemas

Para Ser




Para Ser
Há saber em usufruir...
Na sabedoria que te faz discrepar
Na harmonia do ser e agir 
No gesto de ser revelar e amar...

Na leveza que se dá ao se exprimir
No beijo que te faz ter sem pedir
No jeito sedado de tocar ao possuir
Na mansidão do ser ao se expandir...

Está no cavalheirismo tua fama
Na gentileza que te faz cavalheiro
A sutileza me fará meretriz ou tua dama
Em suma amazona feliz meu cavaleiro...

Ao cavalgar nas plumas de tu’alma...
N’s brumas dos contos e aforismos 
N’s palmas das mãos macias e calmas
No paraíso dos ismos e erotismos...

Para ser está tudo bem explícito...
Toda delicadeza dá o tom que te enfeita
Basta ler e tocar o labirinto do espírito
E contornará minh’ alma de borboleta...

O que te faz ser cavalgador...
Mostrar um beijo doce e perfumado
Ser um poema de puro amor
Ser fator e fato consumado...

Equiparar poder e fogo ao sabor d’minuto
Para sempre bem e bem amado, absoluto...

Son Dos Poemas *SôniaMGonçalves
SÓ Poesie

quarta-feira, 26 de abril de 2017

SON DA N’ASA



SON DA N’ASA
Som da NASA me dá asa
No vácuo da imaginação
Sonda agência
Artificial inteligência
Completa agenda
A exploração...
O voo pelos vãos
O primeiro mergulho
O tiro no escuro
O penetrar do espaço 
Quebrar as barreiras
Casualmente estreitar os laços
Cerebral, celebrar 
Descrever a órbita Saturnal
O navegar da nave, casar ou não...
Adentrar a saturnina espacial
Imerso no universo qual a missão?
Pular entre os Anéis de Saturno
Sentir o abismo pôr dentro do noturno 
Ouvir o Som do Uno
No saturnismo da lua álgida resiste organismo?
Presumi resumi
assini
Cassini
Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

domingo, 23 de abril de 2017

Viva o Camaleão


video


Viva o camaleão!...
Feliz sexta da Paixão <3 div="">

Força Camaleônica... 
Nossa ligação iônica,
Somos dotados disso
está no nicho da mente
na química do sorriso do lagarto
no som do guizo da serpente
de repente viramos bichos,
usamos menos nossa cabeça animal
seguimos pensando ser gente...
querendo ser diferente
e agindo todo mundo igual
O tempo passou e o mundo evoluiu...
Os bebês humanos nascem quase falando
e quando olho pros "bichos"os vejo pensando.
Sou gente seu animal!
Viva a criatividade de alguns humanos, 
pois, esses se propõem a ser e os são...
Cérebros pensantes,
mentes brilhantes,
Não precisam ser reconhecidas
porque sãs os são... 
Sua filosofia de vida,
é ter a mente sempre abrida,
aberta ao criativo em qualquer idade
viva a diversidade da Vida...

Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

sábado, 15 de abril de 2017

Há momentos em nossa vida...



Há momentos na nossa VIDA...
Tão PLENOS tão SERENOS
Que você vê o quanto é PEQUENO
Importar pra você coisas PEQUENAS 
Há outros momentos na Vida tão COMPLETOS SATISFATÓRIOS 
e tão POÉTICOS
Que você vê como as pequenas coisas da Vida
podem ser GRANDES POESIAS
CÁ-PAZ alimenta um instinto FAMÉLICO
Ávida eu e a Vida 
Nos revezamos corpo à corpo
Ela me dá pão e guarida pra que o corpo não esteja morto
E eu continuo sempre com fome buscando 
alimentar o espirito absorto
Pois como está escrito 
“Nem só de pão viverá o Homem”.
><
Lindo Sábado em Cântico de Aleluia!

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Sobre a banheira






Sobre a banheira...

Esqueci d'me lembrar...
Que não posso me esquecer
quando olhar em teu olhar
preciso eu sempre me ver

O bom senso diz p'ra eu viver...
Cantarolar p'ra eu mesma qualquer hit
ouvir meu próprio coração bater
sem marcar passos, pois a vida é um bit

Una unidade que pulsa em todo canto
amando "dele"o coração pulsante
amando do meu jeito e tudo que planto
repouso em ti num voo rasante...

Num despertar dos sentimentos
num desespero esquisito incólume
faço dos instintos bons pressentimentos
ouvindo aquela melodia cantar teu nome

Voo pra te cantar e dançarmos nus pelos campos
tomar banho d'bruma ao serenar da noite
enfeitiçar-te num passo de magia pelos cantos
ajudar o complô do universo dizer-te

Amo-te sem tempo no futuro do presente
desnudarei tua alma à minha maneira
beber-te-ei em cada bolha do vinho espumante...
Presente no cálice e na espuma da banheira.


Son Dos Poemas*SôniaMGonçalves

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Algo Além


Seu Tempo


Desejo Perfeito


No Olhar do Meu Amado



No olhar do meu amado oculto...
há um cântico de mistério
Tem a cor e o doce do caramelo
o belo da gema cru do âmbar
possui um elo com paraíso 
sei quê ou sei lá...
No olhar do meu amado
há flor de avelã mutante
Um côncavo contornado 
num fundo dourado um diamante
Em cada pupila um doce favo de mel
Cintilantes leio seu elã em poemas 
do tamanho do céu escrito à mar
No olhar do meu amado oculto...
O segredo adjunto é tântrico
Um beijo no olhar mais romântico.

Son Dos Poemas

Poesia Pra Você