segunda-feira, 12 de junho de 2017

Banco De Outono


Banco D' Outono 

Então os deuses d'outono são líricos?
Minha esperança abalos sísmicos...
O franco da memória é lapso branco
E toda lembrança arquivada num banco...

Numa estação onde o trem já passou
Invernou as flores que um dia outonou
Ousou sonhar com a liberdade
Sentou num banco d'orvalho... saudade...

Hibernou o tempo tão sempre ausente...
Amou com lirismo em romantismo jacente
Pariu poesia ao meio ambiente e ventre
Agora já sente amor só amor sempre...

Então...espantou as quimeras?
Dançou na lua em quantas primaveras...
Fez pose e close e charme pro mundo
Sorriu reticente para um poema mudo?

Pousou feito mariposa incandescente
Outonou nas manhãs e se banhou no poente
Agora jura de coração...
Vou a marte só até o próximo verão...

Son Dos Poemas#SôniaMGonçalves

https://www.facebook.com/SoPoesie?fref=ts
Postar um comentário