domingo, 11 de junho de 2017

Degraus de Esperança



Degraus D’ Esperança

Dê esperança negra faz a graúna
D’ alvas centelhas da deusa una
Uma dádiva oferecida em pingo de amor
Afago da polpa d’alma envolta de luz e calor...

Encontro marcado na escadaria som promissor
Profecia que declara juras secretas de amor
Em nevoeiro d’alma tão amada orvalhava vapor
Caloria com manto de chuva espanto e tremor... 

Contemplar os degraus do céu da subida
Do septo da divisão da súbita partida...
Das vias de facto do regresso das partilhas
D’ encontro da despedida trilhos e trilhas

Da vontade d’estar nua emboca de sua armadilha
Entre os beijos de seus abraços ao gosto de baunilha
Vidam nas artérias nossas matérias que unem degraus
Nós de subterrâneos nossos clãs destinos de graus

Nosso grau de encontrar sempre rivais...
Postos e opostos nossas chamas imortais...
Colho assim tuas lágrimas em pétalas de parábola
Assim fiz-me amor meu cavaleiro da távola...

Desde sempre estaremos nas estrelas
Unidos em pensamentos ao olhar nus vê-las
No mar, no sol, nas nuvens nas tempestades de areia...
Em gotas e partículas no sangue no suor e veia...

Assim amarras nossos laços unindo espaços no vento
Com passos largos preciso repito juramento
No céu dessa escalada conto meu conto onde for...
Estejamos sempre em tantos cantos... Sempre amor...

Nosso ponto de encontro será aqui nessa escadaria...
Underground que dá acesso a mais de mil poesias...
Meu amado!

Son Dos Poemas#SôniaMGonaçlves
Postar um comentário