sábado, 25 de novembro de 2017

Curador da Floresta



Curador da Floresta

no luzeiro das estrelas
m'eu passageiro medieval...
No coração da floresta ardido
no meu silêncio de catedral aturdido
no cruzeiro da pedra na língua filosofal
O valor do tudo que traduz harmonia
Minha sina crucial meu reino animal...
O Sol era ouro em reação em cadeia reluzia
O amor sagrado desde a era glacial...
madrigal o som da lira na pira musical 
Nos fractais que fagulham tempos perdidos
nos cristais que expelem ventos gemidos...
M'eu cura a dor por natureza
me alimenta o espírito de calmaria...
Imagino as mudanças nas têmperas há temperança
nas idades, cidades e costumes dos sorrisos
Há um quê de paraíso envolvendo os nichos...
Uma linha tênue de esperança...
Sei, já amei humanos e vesti a pele dos bichos
desumanos...Imagino se já vivi tudo isso...
Indomados egos ardidos de valentia 
Será compreendia a simplicidade do curador
o protetor das verdentas florestas...?
que por simples interesse se locomovia 
para trazer na semente a cura pra dor d'alma
O pão pra matar a fome do homem
na mata que orvalha da noite pro dia
Acata humildade para a dama da poesia...
A nata da ingrata sociedade sem saciedade...
A vida anda precisada de vestir calma...

Son Dos Poemas 
100%Sonia Gonçalves
Postar um comentário